Filme de hoje: A Volta do Monstro do Pântano (1989)

filmes_9489_TheReturnofSwampThing-008Imagine um filme tão trash, mas tão trash que algumas pessoas acham bom e ele acaba ganhando uma continuação (ou não). Imaginou? Pois bem. Agora imagine o Monstro do Pântano (personagem que nos quadrinhos da DC faz um sucesso até hoje), que ganhou uma adaptação meia-boca para o cinema em 1982 (que eu já comentei neste post) ganhando um segundo filme para a sua franquia. Interessante? Só que não. A não ser talvez o fato de que novamente Dick Durock deu vida ao personagem, só que desta vez com uma roupinha mais bem elaborada, dando a impressão de que o protagonista é um híbrido de planta e homem mesmo – não tão emborrachado como no filme anterior. Só que o filme caiu na direção de um desconhecido – que conseguiu fazer o filme ficar pior que o anterior.

Com uma história bem a la Cine Trash – embora esse filme chegasse a ser exibido uma única vez na Sessão da Tarde da Rede Globo (tem vídeo no Youtube comprovando isso) –  Nosso herói já começa o filme na porrada com uma espécie de homem-sanguessuga mutante que havia atacado alguns desavisados que resolveram transitar pelo pântano no meio da noite. Depois disso, começa o filme oficialmente, nos apresentando a mocinha da rodada, Abigail, que conversa com as plantas e resolve se mandar pro meio do nada tentar resolver sua relação com o padrasto – ninguém menos que o lesado Anton Arcane (ué, mas ele não tinha virado um javali mutante no filme anterior? Então, o cara voltou, em sua forma humana e mais afetado do que no outro filme), que, na sua busca por um soro que o rejuvenesça, só conseguiu criar mais criaturas mutantes, como um homem-barata, um homem-elefante e um homem-jacaré, só pra citar algumas.

Pois bem, para resumir, o Monstro do Pântano acaba por salvar a inocente (sabe de nada) Abigail de ser estuprada por dois caipiras que estavam de boas no pântano, e o que acontece a seguir… bem, podemos chamar de amor à primeira vista – por sinal, a cena de sexo entre os dois é bizarra (botanofilia?). Nela, o psicodelismo da experiência representado nas HQs é substituído pela mais comum cena de nudez e uma musiquinha transcendental cafona. Sem falar na conversa mole das preliminares que nem vou me dar ao trabalho de escrever aqui. Como se não bastasse, ainda temos a trama paralela dos dois garotinhos que querem a todo custo tirar uma foto do monstro para ganhar uma grana.

No fim das contas, o monstro vence o vilão, resgata a mocinha e acaba por usar seus poderes para curar Abby e nasce uma florzinha em seu pé. Romântico, não é? Impagável, porém, é a cara de desgosto – do tipo: Graças a Deus o filme acabou… – de Arcane ao morrer no incêndio de seu laboratório… Mas vamos lá, é Hollywood! Se você é curioso, assista por sua conta e risco – mas comparando os dois filmes gostei mais do anterior. Quem sabe um dia a Warner não invista nesse personagem e faça uma coisa decente? Só nos resta esperar pra ver…

Supergirl (1984) v Supergirl (2015)

16550233530_ee61a051ca_bPara quem pensa que Kal-El é o único sobrevivente do extinto planeta Krypton, tenho a dizer que vocês estão enganados. O Super-Homem tem uma prima. Nascida Kara Zor-El, ela foi enviada à terra com a missão de proteger o primo, mas por uma ironia do destino sua nave ficou em animação suspensa, e quando foi encontrada, o Homem de Aço já estava adulto e havia se revelado. Assim, ela decidiu tentar levar uma vida “normal” até que um acidente aéreo a obrigou a revelar seus poderes. Nascia então a Supermoça (nome da ninfeta em bom e velho português). Essa foi a origem contada na série de TV que por enquanto só tem uma temporada de 20 episódios, lançada em 2015 no canal CBS. Mas essa não é a única mídia em que a Garota de Aço foi encarnada. E depois de assistir à primeira tentativa de se criar um universo compartilhado da DC no cinema, em 1984, resolvi comparar as duas versões.

A primeira Supermoça (ou Supergirl, como preferirem) em carne e osso foi Helen Slater, em 1984. O filme, embora tenha o maior sex symbol dos quadrinhos americanos como personagem-título, foi rodado na Inglaterra, e foi uma tentativa de expandir o universo dos filmes do Superman com Cristopher Reeve, confirmada pela presença do ator Mark McClure, que reprisa seu papel de Jimmy Olsen no longa da loira de saia vermelha.

supergirl-helen-slater

Helen Slater (1984)

Infelizmente a mão pesada dos produtores Alexander e Ilya Salkind fadaram o filme da Supermoça ao fracasso (Assim como eles fizeram com Superman 3 e 4), então o filme ganhou ares de produção trash, com uma história mal elaborada, onde o nome do primo de Kara é citado uma ou duas vezes, e os furos no roteiro são gritantes. Vamos a eles:

Kara Zor-El ( Helen Slater ) vive em uma comunidade kryptoniana isolada chamado Argo City , em um espaço transdimensional. Um homem chamado Zoltar ( Peter O’Toole ) permite que  Kara veja um item exclusivo e imensamente poderoso conhecido como o Omegahedron, que ele tomou “emprestado”, sem o conhecimento do governo da cidade e que na verdade é a fonte de energia da cidade. No entanto, após um acidente, o Omegahedron é soprado para o espaço. Para a aflição de seus pais (Simon Ward e Mia Farrow ), Kara segue para a Terra (passando por uma transformação em “Supergirl” no processo – não me pergunte como, ela entra na nave com roupas kryptonianas e sai com seu traje de Supergirl) em um esforço para recuperá-lo e salvar a cidade.

Na Terra, o Omegahedron é recuperado por Selena ( Faye Dunaway ), uma aspirante a bruxa com fome de poder que tem como sua fiel assistente Bianca ( Brenda Vaccaro ), procurando libertar-se da sua relação com o bruxo Nigel ( Peter Cook ). Apesar de não saber exatamente o que é, Selena rapidamente percebe que o Omegahedron é poderoso e pode permitir-lhe realizar feitiços verdadeiros. Supergirl chega à Terra e descobre seus poderes. Seguindo o caminho do Omegahedron, ela resolve adotar um disfarce, com os cabelos pretos, adota o nome de Linda Lee, e identifica-se como sendo a prima de Clark Kent. Para dar mais veracidade Linda se matricula em uma escola só para meninas, onde ela faz amizade com Lucy Lane ( Maureen Teefy ), a irmã mais nova de Lois Lane , que acontece estuda lá. Logo de cara, Kara/Linda se encanta pelo zelador na escola, Ethan ( Hart Bochner). Ethan também chama a atenção de Selena, que droga ele com uma poção do amor (que vai fazê-lo se apaixonar pela a primeira pessoa que ele vir na frente – nossa que clichê!); no entanto, Ethan recupera a consciência, na ausência de Selena e vagueia pelas ruas. Uma Selena raivosa usa seus poderes recém-descobertos para “dar vida” a um veículo de construção que ela envia para trazer Ethan volta, causando o caos nas ruas. Com isso, a Supergirl entra em ação e resgata Ethan. Com isso, ele acaba se apaixonando por ela, ou melhor, por Linda Lee (a Supermoça já havia colocado sua peruca negra).

Supergirl e Selena batalham repetidamente, de várias maneiras, até que Selena usa seus poderes para colocar Supergirl em um “vazio eterno”, também conhecida como a Zona Fantasma . Aqui, sem seus poderes, Kara vagueia a paisagem desolada e quase se afoga em um pântano oleoso. No entanto, ela encontra seu velho amigo Zoltar, que se exilou na Zona Fantasma como um castigo por perder a Omegahedron. Zoltar sacrifica sua vida para permitir que Supergirl saia da Zona Fantasma – se existe uma entrada, então deve existir uma saída. De volta à Terra, Selena abusa do Omegahedron para se fazer um “rainha da Terra”, com Ethan como seu amante e companheiro . Emergindo da Zona Fantasma através de um espelho, Supergirl recupera seus poderes e confronta Selena, que usa o poder do Omegahedron para convocar um demônio da sombra gigantesco. O demônio domina Supergirl e está à beira de derrotá-la, quando ela ouve a voz de Zoltar exortando-a a lutar. Supergirl se liberta e descobre que a única maneira de derrotar Selena é fazendo o demônio da sombra se voltar contra ela. Supergirl  começa a voar em círculos em torno dela, prendendo-a em um turbilhão. Selena é atacada e incapacitada pelo monstro com o redemoinho que também acaba puxando Bianca. Os três são sugados de volta para o espelho, de onde a Supermoça saiu, e devem ficar presos lá dentro para sempre. Livre do feitiço de Selena, Ethan admite seu amor por Linda e que ele sabe que ela e Supergirl são a mesma pessoa, e diz mais: que sabe que é possível que ele pode nunca mais vê-la novamente, mas que ela deve salvar Argo City. A cena final mostra Kara levando de volta o Omegahedron a um Argo City escurecido, que prontamente se acende novamente.

O filme serviu apenas para a DC Comics matar a personagem durante a Crise nas Infinitas Terras (1985), que reformulou o Universo DC e desfez o conceito das “terras paralelas”, existindo apenas uma única Terra. Isso se deu pela impopularidade da personagem que retornaria somente muitos anos depois nas HQs, mas com uma outra história, mais próxima do que conhecemos do Homem de Aço.

Mesmo assim a atriz Helen Slater ficou conhecida pelos fãs e participou de outras duas séries ligadas a Krypton, a primeira foi em Smallville (2001-2010), onde ela faz o papel de Lara-El, a mãe do Super-Homem, em três episódios entre a sétima e a décima – e última – temporada. (Abrindo um parêntese, outros atores que participaram do Universo do Homem de Aço, como Dean Cain e até mesmo Cristopher Reeve, antes de sua morte, fizeram participações especiais em Smallville). E a segunda foi recentemente, em 2015, na série da própria Supergirl, onde Slater faz o papel da mãe adotiva da heroína – Eliza Danvers – em quatro episódios até o momento (um caso semelhante a John Wesley Shipp, que foi o Flash nos anos 90 e atualmente interpreta o pai do herói, conforme eu citei neste artigo).

28dcb385ce67bdf282f9126b4550bd8e

Laura Vandervoort

Antes de falar da Supermoça atual, preciso dar uma menção honrosa à segunda atriz a interpretar Kara em carne e osso – Laura Vandervoort – que deu vida à prima de Clark na série Smallville, por 23 episódios a partir da sétima temporada (2007), sendo personagem principal na sétima temporada e tendo participações especiais apenas nas temporadas 8 e 10. Mesmo assim vale citar porque o universo de Smallville é fantástico. Vandervoort também participou da série da Supergirl de 2015, dessa vez como a vilã Indigo (a.k.a Brainiac 8). Assim como Clark, a Kara desse universo não usava sua roupinha característica, mas sim aparecia em ação sempre com roupas casuais, mas nas cores azul e vermelha, (assim como seu primo fazia).

Muito bem, cinco anos depois do fim de Smallville, a Warner, vendo o sucesso de séries televisivas envolvendo outros personagens da casa (como Arrow e Flash), decidiu por incorporar a Garota de Aço no rol de personagens que poderiam ser investidos na TV (já que os “grandões” – Batman, Superman e Mulher Maravilha são de uso exclusivo do cinema). Contudo, decidiu-se por exibir a série em um canal diferente (a CBS, enquanto os outros heróis são exibidos na CW), mas o sucesso foi tamanho que a serie mudou de canal a partir de sua segunda temporada (o que provavelmente poderá ocasionar que se passe no mesmo universo de Arrow, Flash e Legends of Tomorrow, mas por ora isso é apenas uma hipótese). Sendo estrelada por Melissa Benoist (que já era conhecida pela série Glee – opa, já vi isso em algum lugar, né Grant Gustin?) , a série foi um sucesso imediato. Com as participações de Helen Slater – como eu mencionei acima e de Dean Cain, na pele do pai adotivo da heroína – o Dr. Jeremiah Danvers – a série nos mostra uma Supergirl com seus 25 anos, que trabalha na imprensa como uma tímida assistente da temida dona do local, Cat Grant.

ce5ad4gukaa858j-jpg-large-135670-1748x984

Melissa Benoist

Momentos antes da destruição de Krypton, a pequena Kara Zor-El é enviada à Terra por seus pais na missão de cuidar de Kal-El, seu primo ainda bebê. A nave da menina, entretanto, é atingida por uma onda de choque e lançada para dentro da sombria Zona Fantasma, uma prisão intergalática atemporal. Após um período adormecida, a cápsula de Kara deixa a Zona e alcança a Terra, onde a menina encontra Kal-El adulto e super-poderoso, agindo heroicamente como um defensor do planeta – o Super-Homem. Entregue por ele a uma família de cientistas, Kara é adotada e adota o sobrenome Danvers, e doze anos se passam até que ela decida revelar ao mundo compartilhar dos poderes e da natureza heroica do primo, impedindo um acidente aéreo e salvando a vida de centenas de pessoas, incluindo a irmã adotiva Alex. Ao lado dos amigos James (Jimmy Olsen – ex fotógrafo do Planeta Diário), Winn e do Departamento de Operações Extra-normais, do qual Alex é parte (sob a supervisão do marciano J’onn J’onzz, Kara se divide entre o trabalho árduo de assistente pessoal da personalidade da mídia Cat Grant, e a missão árdua de defender a humanidade de ameaças hostis, sob o manto de Supergirl.

Como até o momento a série só possui uma temporada, fica difícil mencionar os melhores episódios, mas posso citar, entre o combate de supervilões como a Curto-Circuito, Banshee Prateada e até o Tornado Vermelho, o melhor episódio, para mim, foi o episódio 18 (World’s Finest), que nada mais é do que um crossover com o Flash. Barry Allen, o Flash, descobriu que existe mais de uma Terra (o conceito das Terras Paralelas) e sem querer acaba caindo na Terra onde existe a Supergirl, então os dois unem forças para que Barry consiga voltar para a sua Terra. O episódio é excelente e nos deixou um gostinho de “quero mais”. O que pode acontecer com toda essa mudança de canal e “outras coisinhas mais” – Flashpoint vem aí?  Só o tempo dirá. Ainda não assisti a segunda temporada de Flash para afirmar mais alguma coisa…

Gente finalizo meu texto por aqui. Espero que tenham gostado!

Movie-and-TV-Supergirl-Actresses

 

Filme de hoje: Monstro do Pântano (1982)

st_movie3 Ele foi o segundo personagem da DC Comics a ser adaptado dos quadrinhos para o cinema, mas ao contrário de seu predecessor – o símbolo maior da DC, Super-Homem – não obteve o sucesso tão esperado. Embora as histórias em quadrinhos desse personagem vendam muito bem na DC até hoje, a tentativa de se adaptar sua história em live action foi um fracasso, que hoje só serve como item de colecionador. A ideia era boa, e o diretor do filme um dos mais competentes (Wes Craven, criador de Freddy Krueger, de Hora do Pesadelo; e da série Pânico), mas o que a gente vê são falhas nos efeitos, monstros de borracha e o final do filme mostra uma série de acontecimentos que NUNCA ocorreram nos quadrinhos, mas lá vai. O que vale é a intenção.

Talvez você já tenha assistido este filme no Cinema em Casa, do SBT ou Sessão da Tarde, sob o título “A Maldição do Pântano”, mas isso foi um erro da distribuidora para tentar lançar o filme por aqui como um tipo de horror trash. Doce engano. O que temos aqui é uma espécie de Incrível Hulk do Pântano. A história é bem simples: Nos pântanos da Louisiana , o Dr. Alec Holland trabalha com sua irmã Linda em um projeto ultra secreto do governo em bio-engenharia  para criar uma planta / animal híbrido capaz de prosperar em ambientes extremos . A agente do governo Alice Cable chega no exato dia em que Holland faz um grande avanço, e começa a desenvolver sentimentos por ele. No entanto, um grupo paramilitar liderado pelo malvado Dr. Anton Arcane, que está obcecado com a imortalidade, mata Linda ao tentar roubar a fórmula para seus próprios propósitos. Durante o ataque, Alice escapa e Alec é coberto pelos seus produtos químicos, sendo queimado vivo, e corre gritando no pântano, sendo dado como morto. No entanto, ele retorna como um monstro mutante híbrido entre planta e criatura. Como o Monstro do Pântano, Holland batalhas contra as forças de Arcane para proteger a agente Cable e, no final do filme, terá que enfrentar o próprio Arcane, que também sofreu mutação pela fórmula de Holland.

Pois bem, mesmo o filme sendo trash, serviu para alavancar ainda mais as vendas das histórias em quadrinhos do personagem, mesmo com todos os furos no roteiro, se você for curioso, vale a pena dar uma espiada.

Em breve novidades!

Pessoal, o trabalho não tem me permitido atualizar o blog. Mas brevemente estarei voltando com tudo, estou assistindo a uma maratona de Demolidor, Constantine, isso sem falar nas novas temporadas de Arrow e Flash. Ainda tem os maiores sucessos do cinema de 2015 e os grandes lançamentos de 2016. Aguardem!

O motivo do post de hoje é que estou tentando lançar um canal no Youtube documentando não só as postagens do Cinemágico mas também outras curiosidades da minha vida pessoal. Se algum leitor tiver interesse é só clicar aqui

O canal ainda está em fase de testes, mas se você não quiser perder nenhuma novidade, inscreva-se!

Aproveita e me segue nas outras redes sociais. Meu Facebook ainda está desativado, mas ainda tenho twitter @jonatanaranha

Um forte abraço e 2016 só está começando para mim😉

The Flash (1990) vs. The Flash (2014)

2685429 Ele é conhecido no Universo DC como o Velocista Escarlate, e também como “O Homem Mais Rápido do Mundo” (acredito que ganha na supervelocidade até do Superman). E atualmente está fazendo um grande sucesso na televisão com uma série renomada (que criou um universo televisivo ao se interligar com a série Arrow – Arqueiro Verde, como é conhecido aqui no Brasil), sendo uma das melhores séries de super-herói do momento. É claro que eu estou falando do Flash.
Apesar de nos quadrinhos quatro pessoas terem usado o nome de The Flash – sendo que três delas usaram o tradicional uniforme vermelho (o Flash original, Jay Garrick, ou Joel Ciclone para os fãs mais nostálgicos usava uma roupa normal e um capacete característico); o mais conhecido dos Flashs é, sem dúvida o Flash II – Barry Allen (que é tio do Flash III – Wally West e avô do Flash IV – Bart Allen). Barry foi criado em 1956 e foi o pivô para a existência de universos paralelos na DC Comics, dividindo as eras dos quadrinhos em Era de Ouro e de Prata. Barry morre no evento “Crise nas Infinitas Terras“, que unificou o multiverso DC em um único universo; ficando afastado dos quadrinhos por quase 30 anos, e só voltou aos quadrinhos recentemente, com um novo reboot na DC – e novamente sendo o pivô do mesmo, ao voltar no tempo e mudar toda a história do Universo DC no arco Flashpoint – que resultou nos atuais Novos 52. Sendo Barry o mais conhecido dos Flashs, seria natural que a TV investisse num seriado dele (já que Batman e Superman estavam sendo usados – e ainda estão – no cinema, sendo focados em outro tipo de mercado).

John Wesley Shipp, que foi Barry Allen/Flash nos anos 90...

John Wesley Shipp, que foi Barry Allen/Flash nos anos 90…

Acabei de assistir a primeira temporada de Flash (2014), que por sinal é muito boa (a segunda temporada já está em exibição na TV – mais detalhes abaixo) e digo a vocês que esse personagem tem me cativado cada vez mais – a última série da DC que me prendeu tanto a atenção assim foi Smallville, mas depois da sétima temporada a série do jovem Superman só encheu linguiça – tive que esperar 10 anos para ver o protagonista em seu uniforme. Mas isso é outro assunto. A adrenalina que me causou cada episódio da série de 2014 me fez lembrar de uma outra (que eu assistia na TV Globo quando eu era criança), lançada em 1990 e que, mesmo sendo muito boa, só durou uma única temporada. Digo que comparar a série de 1990 com a série de 2014 é como comparar Lois &Clark (1993-1997) com Smallville (2001-2011). Afinal, são visões diferentes para o mesmo personagem. Mas assim como a última série do kryptoniano teve participações de atores e atrizes que de alguma forma estiveram envolvidos com o Superman; com Flash (2014) não é diferente! A começar com o ator John Wesley Shipp, que foi o ator a envergar o traje do Flash em 1990. No seriado de 2014, Shipp faz o papel do pai de Barry, Henry; preso injustamente por um crime que não cometeu. Outro ator que participou das duas produções foi Mark Hamill, o eterno Luke Skywalker, dessa vez como o mesmo personagem: o vilão Trapaceiro – inclusive no episódio em que Hamill participa em 2014 são exibidas fotos de Hammil no episódio em que ele participou em 90 – como sendo o Trapaceiro original. O que nos leva a crer que, embora a série de 90 seja completamente diferente da de 2014, não haveria problema em alguns atores reprisarem seus personagens.

... voltou em 2014, agora como o pai do Flash, Henry Allen.

… voltou em 2014, agora como o pai do Flash, Henry Allen.

As duas séries procuram se aproximar ao máximo dos quadrinhos, contando com a presença de vários inimigos clássicos do Flash. A diferença é que, enquanto na série de 90 Barry passa a maior parte dos episódios combatendo criminosos comuns, com a presença de apenas um ou dois vilões dos quadrinhos; em 2014 a história é outra: o acidente que deu poderes a Barry também foi o responsável por transformar criminosos comuns em “meta-humanos”. A origem do Flash porém, é parecida nas duas séries (a cena em que o raio atinge Barry no laboratório e o joga numa prateleira cheia de produtos químicos é idêntica nas duas versões): Barry Allen é um funcionário da polícia científica (CSI) de Central City, que após o acidente mencionado acima desenvolveu poderes de super velocidade.

Infelizmente a série dos anos 90 só durou uma temporada. Mesmo assim, vale a pena dar uma conferida, especialmente por conta de algumas curiosidades:

  • Nesta versão, Barry Allen tem um irmão chamado Jay (nome familiar?) que foi assassinado brutalmente por um ex-policial. Barry decide usar seus poderes para combater o crime inicialmente para vingar a morte do irmão (onde foi que eu vi isso mesmo? Com Grandes Poderes vem Grandes Responsabilidades, tal e coisa?). Bem, esse irmão do Barry só existe no seriado (bem como o seu assassino) e sua morte aconteceu no piloto, que tem uma hora e meia de duração e já foi exibido exaustivamente na Sessão da Tarde, na Globo e no saudoso Cinema em Casa, no SBT. Quanto ao pai e à mãe de Barry (Henry e Nora), os dois são vivos na série.
  • Barry tem como ajudante a Dra. Christina McGee, dos Laboratórios S.T.A.R. (os mesmos laboratórios famosos nos quadrinhos e na série de 2014). No Flash de 2014, “Tina”, como é mais conhecida, trabalha num laboratório concorrente, e é uma peça chave para a primeira temporada da série. Curiosamente Tina foi interpretada pela mesma atriz (Amanda Pays) nas duas versões.
  • O amor da vida de Barry Allen – Iris West – só aparece no piloto da série, sendo deixada de lado nos demais episódios. Parece que o interesse da Warner era juntar Barry com Tina McGee.
  • A trilha sonora da série dos anos 90 (especialmente a música da abertura) lembra vagamente os filmes do Batman de Tim Burton. Isso porque o responsável pelas músicas da série é ninguém menos que o lendário Danny Elfman, que também compôs a trilha sonora dos filmes do Morcegão mencionados acima.
  • Alguns episódios foram recortados e lançados posteriormente em VHS sob o formato de filme: The Flash (1990), o piloto da série; Flash II – A Vingança do Trapaceiro (1991), que compila num único filme os episódios 12 e 22 da série; e por último Flash III – Sombra da Noite (1991), compilado dos episódios 9 e 16, onde Flash faz um team-up com outro herói chamado Sombra (Nightshade, no original).
  • No episódio 07, Barry passa em frente a um cinema onde estão em cartaz os filmes do Batman (1989) e Superman (1978), dando a entender que essa série do Flash se passa em um universo diferente, onde os outros heróis da DC são personagens fictícios.
  • Apesar da supervelocidade do Flash, na maior parte do tempo ela não ajudava muito. Barry vivia sempre sendo pego por trás ou caindo em alguma armadilha. Esse foi um dos pontos negativos da série.
  • Outro ponto negativo é que, em todos os 22 episódios da série, em apenas três ou quatro aparecem vilões conhecidos dos quadrinhos (Trapaceiro, Mestre dos Espelhos e Capitão Frio – com origens diferentes da dos quadrinhos, mas tudo bem). Ainda assim, o único episódio em que Barry enfrenta um ser com poderes é aquele em que ele encontra um clone de si mesmo (que usa um traje azul – uma menção ao Flash Reverso?). Nos demais episódios, Barry está sempre combatendo criminosos comuns, que vão de cientistas loucos a psicopatas assassinos, passando por traficantes de drogas e armas e políticos corruptos.
  • O último episódio da série “O Julgamento do Trapaceiro” – termina em uma nota aberta, com Barry ainda vivendo sua vida dupla de policial/herói mascarado. A última cena aparece com o povo de Central City erguendo uma placa que diz  “cidade do Flash“, dando a entender que a série teria uma segunda temporada, que infelizmente não ocorreu.

Em contraponto com a série de 1990, o Flash voltou a aparecer na televisão no ano passado, como parte de uma proposta da Warner de criar um Universo Televisivo da DC, com heróis do “segundo escalão”, já que o primeiro escalão é exclusivo dos cinemas. Assim, em 2012 a Warner deu o primeiro passo com a série Arrow – a primeira série da DC após o final de Smallville. E foi num episódio duplo de Arrow da segunda temporada que nos foi apresentado o segundo super-herói desse universo compartilhado – Barry Allen (ainda sem sofrer o acidente que o transformou no Flash), um cientista forense que está investigando um caso e sem querer topa com Oliver Queen, o Arqueiro Verde – que mais tarde se tornaria um de seus melhores amigos.

Stephen Amell (esq.) deu vida ao Arqueiro Verde/ Oliver Queen na série Arrow. A primeira aparição de Barry Allen (Grant Gustin, da série Glee, à dir.) foi na segunda temporada de Arrow, antes dele se tornar o Flash.

Stephen Amell (esq.) deu vida ao Arqueiro Verde/ Oliver Queen na série Arrow. A primeira aparição de Barry Allen (Grant Gustin, da série Glee, à dir.) foi na segunda temporada de Arrow, antes dele se tornar o Flash.

Nesses dois episódios de Arrow (mais especificamente o 8 e 9 da segunda temporada) após ter visto sobre um roubo nas Indústrias Queen realizado por um homem com força sobre-humana, que é semelhante a um que ocorreu em Central City, Barry vai para Starling City (a cidade do Arqueiro), se oferecendo para ajudar Oliver Queen a resolver o caso. Enquanto investiga o caso, ele é auxiliado por Felicity Smoak, a assistente de Oliver, de quem Barry acaba ficando próximo e revela a ela ser um grande fã do Arqueiro. Oliver desconfia que Barry não esteja dizendo quem ele realmente é, e manda seu amigo e segurança, John Diggle, investigá-lo. Após receber as informações de que precisava, Oliver confronta Barry, obrigando-o a dizer quem ele realmente é, e Barry diz que é um assistente de laboratório da polícia científica, que está vendo o ocorrido como uma oportunidade para tentar provar a inocência de seu pai que foi preso por um crime que não cometeu e conta a eles sobre a noite em que sua mãe foi morta por um misterioso homem de roupa amarela. Ele recebe uma ligação do Departamento de Polícia de Central City, obrigando-o a retornar para a cidade. Ele se despede de Felicity e vai para a estação de trem, porém chega atrasado e acaba perdendo a viagem. De repente, ele é atingido por um dardo e desmaia. Ao acordar ele está dentro do esconderijo do Arqueiro, com Felicity diante dele pedindo para que salve Oliver, que foi envenenado. Barry consegue salvar Oliver e promete a ele não revelar o segredo dele. Depois de auxiliá-lo a encontrar e derrotar Cyrus Gold, Barry dá de presente para Oliver uma máscara para que ele use em suas missões como Arqueiro e retorna para Central City. No final do episódio, Barry acaba sendo atingido por um misterioso raio e desmaia. Nasceria ali o Flash!

Alguns meses depois da exibição desses episódios de Arrow (mais especificamente estreando simultaneamente à terceira temporada do Arqueiro), nos seria apresentada a série do Flash, onde nos são apresentados os personagens principais da série. Barry Allen (Grant Gustin) é o filho único de Henry (John Wesley Shipp) e Nora Allen e sofria bullying na escola. Certa noite, Barry, que estava dormindo, desce as escadas, indo em direção a sala e vê sua mãe envolta em um tipo de vórtex vermelho e amarelo. Por um momento, Barry vê um homem trajado de amarelo que, no momento em que seu pai aparece, o tira de dentro da casa deixando-o a quarteirões de distância. Mas o que o jovem Barry não sabia, é que dentro da casa estava tendo uma luta entre o Homem de Amarelo e sua própria versão futura. Assim que retorna a sua casa, Barry vê seu pai sendo levado pela polícia, acusado de ter matado Nora. Com o pai preso, Barry é adotado pelo detetive Joe West, pai da melhor amiga de Barry, Iris. Quando Barry começou a morar com os West, a relação entre ele e Joe não era amigável, devido ao garoto sentir falta de seu pai, mas com o tempo, Barry passou a ver Joe como seu segundo pai. Na escola, Barry era constantemente humilhado por Tony Woodward.

Na série de 2014, Candice Patton interpreta o amor da vida de Barry, Iris West.

Na série de 2014, Candice Patton interpreta o amor da vida de Barry, Iris West.

Quando adulto, Barry se torna um policial forense obcecado por fatos inexplicáveis, sendo taxado de esquisito pelos seus colegas de trabalho, além de sempre chegar atrasado nos seus compromissos, mas também é um grande amante da ciência, tanto que está empolgado para ver a ativação dos acelerador de partículas do Dr. Harrison Wells no Laboratórios STAR, que possibilitará um grande avanço nos estudos científicos.

Na noite do evento, Barry comenta com Iris sobre sua ida a Starling City e tenta revelar seus sentimentos a ela, porém a jovem o vê como um irmão (já que foram criados juntos). Durante a cerimônia de abertura, um ladrão rouba a bolsa de Iris, que tem o laptop que contém o seu trabalho de faculdade. Barry tenta correr atrás do ladrão, mas é atacado pelo mesmo, que é capturado logo em seguida pelo novo policial do departamento onde Barry trabalha, Eddie Thawne. Após o ladrão ser levado para a delegacia, Barry retorna para o seu apartamento. Logo que chega, o acelerador de partículas é ativado e abre um portal que libera vários raios em vários pontos da cidade, e um deles atinge Barry. Barry fica em coma por 9 meses, sendo transferido do hospital para a sede dos Laboratórios STAR em Central City, ficando sob os cuidados de Wells, que devido ao acidente ficou paralítico e de seus funcionários Caitlin Snow e Cisco Ramon. Durante o período de coma, Barry recebeu visitas de Iris e de Felicity Smoak, amiga de Oliver Queen que Barry conheceu em sua viagem a Starling City.

Barry desperta do coma e Wells lhe revela sobre o que aconteceu na noite do acidente. Após sair dos Laboratórios STAR, Barry visita Iris na cafeteria onde ela trabalha e depois vai para delegacia conversar com Joe. Seus novos poderes, que são velocidade sobre-humana, começam a se manifestar e com isso acontecendo, Barry retorna ao laboratório onde Wells inicia um teste para ver até qual velocidade Barry consegue, correr. Contudo, no momento do teste, Barry se lembra da noite em que sua mãe morreu e do homem de amarelo que viu dentro do vórtice e acaba tropeçando, caindo e quebrando o pulso. Mais tarde, após o seu pulso quebrado se regenerar em três horas, Barry vai visitar Iris novamente e descobre que ela está namorando com Eddie. Os dois, minutos mais tarde, caminham e conversam a respeito, com Iris pedindo para Barry não contar a Joe sobre o namoro. Enquanto conversam os dois quase são atropelados por um carro em alta velocidade, mas com sua super velocidade, Barry consegue salvar Iris e consegue ver que quem está dirigindo o carro é Clyde Mardon, um ladrão de bancos que supostamente havia morrido na noite do acidente envolvendo o acelerador de partículas. Barry o persegue e tenta enfrentá-lo, mas Clyde cria uma neblina ao redor deles, causando um acidente que mata um inocente. Após o ocorrido e Clyde fugir, Joe e Eddie chegam à cena do crime e Barry conta a Joe que Clyde está vivo e que tem a habilidade de controlar o tempo, mas Joe encara isso como sendo apenas uma maluquice do rapaz. Mais tarde, Barry retorna ao laboratório exigindo uma explicação de Wells para saber o que aconteceu na noite do acidente, Wells revela que o acelerador abriu uma fenda na realidade liberando energia teoricamente inexistentes e transformando humanos comuns em meta humanos. Barry pede a ajude de Wells e dos outros para deter Clyde, mas Wells nega, dizendo que Barry não é um herói, mas sim um jovem atingido por um raio. Frustrado com tudo que aconteceu, Barry vai até Starling City e conversa com Oliver Queen, contando a ele tudo o que aconteceu. Oliver diz a Barry que o raio não atingiu, mas sim que o escolheu, e que Barry poderia usar isso para se tornar um anjo da guarda para Central City, salvar pessoas em um flash, além de aconselhá-lo a usar uma máscara. Inspirado pelas palavras do amigo, Barry retorna a Central City e pede ajuda a Caitlyn e Cisco para deter Clyde. Os dois mostram a ele um uniforme de tecido resistente que seria usado pelos bombeiros, além de dar a Barry a localização de Clyde. Vestindo o uniforme, Barry chega na fazenda que pertence a Clyde e a seu falecido irmão, que acabou de atacar Joe e Eddie. Clyde cria um vórtex que está em direção à cidade e Barry tenta detê-lo, correndo no sentido oposto do tornado, mas não consegue. Wells o contata e diz que estava errado sobre Barry, e o motiva a prosseguir com o confronto. Barry corre novamente e consegue derrotar Clyde, que após o confronto aponta uma arma para Barry, mas antes que possa atirar, Clyde é morto por Joe. Após Barry contar tudo o que aconteceu, Joe passa a acreditar nele e a acreditar na inocência de Henry, e faz Barry prometer que não envolverá Iris nisso. Mais tarde, Barry visita seu pai na cadeia, dizendo que não vai desistir de tentar tirá-lo do lugar e que agora pode conseguir provas para achar quem matou sua mãe. Seguindo o conselho de Oliver, Barry se torna o Flash, o homem mais rápido do mundo.

Depois que se tornou o Flash, Barry passou por desafios que o fizeram amadurecer como herói, como enfrentar um inimigo à altura na forma do Capitão Frio, ter enfrentado o Tony Woodward, que se tornou o Viga, ter perdido seus poderes temporariamente após enfrentar o Blecaute e juntamente com o Arqueiro ter enfrentado o Ladrão de Arco-Íris e o Capitão Bumerangue. Contudo, o grande desafio de Barry veio quando o Homem de Amarelo que matou sua mãe retorna. Ele o persegue pelas ruas de Central City até irem parar em um estádio. Lá dentro, os dois se enfrentam, com o Homem de Amarelo apresentando não só vantagem na luta como também se mostrando muito mais rápido que o Barry. Enquanto Wells e Joe procuram uma forma de deter o Homem de Amarelo, Barry visita seu pai na prisão de Iron Heights e revela que encontrou o assassino de Nora. Henry então pede a Barry que não permita que o assassino tire mais do que já tirou deles e que Barry siga em frente. Motivado pelas palavras de seu pai, Barry revela a Iris o que realmente sente por ela. Mais tarde, Wells e a polícia de Central City conseguem emboscar o Homem de Amarelo, mas ele consegue escapar e surrar Wells quase até a morte e quase agride Joe. Barry, como Flash, intervém e os dois se enfrentam novamente, e assim como na primeira luta, o Homem de Amarelo apresenta maior habilidade e derrota Barry facilmente, e só não prossegue com a luta, pois Ronnie Raymond, o noivo de Caitlyn que supostamente havia morrido no dia do acidente envolvendo o acelerador de partículas, intervém na luta e salva Barry. Depois do ocorrido, Barry passa a treinar para se tornar tão ou mais rápido que o assassino de sua mãe.

Henry mais tarde descobriu que o Barry é o Flash, e se mostrou orgulhoso do trabalho que o filho vem realizando como herói, e Barry passou a se envolver romanticamente com Linda Park, colega de trabalho de Iris. Embora o relacionamento entre os dois esteja fluindo, Barry encontrou dificuldades para conseguir ficar perto dela, principalmente quando Ronnie, que é mais tarde revelado como sendo o Professor Martin Stein dentro do corpo de Ronnie, retorna. Após conseguirem convencer o Stein a ficar no STAR, Barry recebe uma ligação de Linda onde ela diz que quer terminar o namoro, pois descobriu que ele tinha sentimentos por Iris. Barry então vai falar com Iris, pois soube que foi ela quem contou para a Linda que ele tinha sentimentos por ela. Ele diz a ela que não quer que ela atrapalhe o namoro dele com Linda e que ele não tem mais sentimentos por ela. Logo depois, Barry procura Linda e eles reatam a relação.

Quanto Barry retorna ao STAR, descobre que Stein desapareceu. Wells chega à conclusão de Stein pretende se sacrificar já que a Matriz de Nuclear, a responsável por ter fundido ele e Ronnie, está se tornando estável e pode levar à uma explosão nuclear. Wells descobre uma forma de poder separá-los através do emissor de táquions, que ele havia roubado de Tina McGee (lembra dela?). Flash e Caitlyn vão até o local onde está Stein e dão a ele o emissor. Assim que ele coloca no peito uma explosão ocorre, no entanto, eles logo descobrem que o plano deu certo e que Ronnie e Martin agora estão separados.

Depois de levá-los para o STAR, Barry se encontra com o Joe, que o leva de volta à antiga casa dele. Lá ele revela que ele e Cisco descobriram que na noite em que Nora morreu havia outro velocista além do Homem de Amarelo (agora chamado de Flash Reverso), e esse velocista era o próprio Barry. Barry e Joe vão conversar com Wells a respeito da possibilidade de viagem no tempo e Wells explica que há duas teorias: ao voltar para o passado você se torna a causa do evento ou então você muda o passado e cria uma realidade alternativa. Logo depois, após a indicação de Cisco, Barry vai visitar Stein em sua casa, já que ele havia escrito 25 anos atrás um artigo científico sobre viagem temporal para Oxford. Stein explica a Barry que a viagem no tempo é possível, basta apenas conseguir achar uma brecha. Barry explica o seu interesse no assunto, pois soube que ele no futuro tentou voltar no tempo para salvar sua mãe. Stein se impressiona com o relato do rapaz e diz que isso é um efeito do super velocidade de Barry, permitindo a ele que em algum momento ele abra um buraco no continuum do espaço/tempo e consiga viajar ao passado. Mas Barry logo perde o entusiasmo pela ideia, ao perceber que mesmo que ele volte no tempo, ele não conseguirá salvar sua mãe.

Após o General Wade Eilling retornar, querendo a Matriz de Nuclear, Flash e Nuclear, dessa vez o próprio Ronnie com Stein em sua consciência, se unem para derrotar Eilling. Depois que o Nuclear parte de Central City para aprender mais sobre suas habilidade e para se esconder de Eilling, Barry revela a Joe que irá analisar as fotos coletadas por Cisco do confronto dele com o Flash Reverso na noite em que Nora morreu, como forma de saber aonde ele errou. Ele promete a Joe e a si mesmo que irá aprender a viajar no tempo e salvar sua mãe.

Semanas depois, Barry vai com Linda jogar boliche, onde acaba se encontrando com Iris e Eddie. Após jogarem algumas partidas, Barry, como o Flash, vai até o necrotério, pois recebeu um chamado de alerta de lá. Enquanto corre até o local, Barry vê o que parece ser ele mesmo. Ao chegar no necrotério, ele encontra o legista morto e descobre que ele foi morto por granizo. Logo, Barry e Joe descobrem que o autor do assassinato foi Mark Mardon, que sobreviveu à queda do avião e quer vingança pela morte de seu irmão, Clyde. Enquanto Cisco, trabalha em uma forma de deter Mark, Barry conta a Wells sobre ter visto a si próprio enquanto corria, e Wells diz que isso pode ser uma miragem de velocidade, uma imagem atrasada. Mais tarde, Barry e Joe são atacados por Mark, mas graças à velocidade de Barry, eles são salvos. Mas Mark volta a atacar Joe novamente e Barry, como o Flash, o salva utilizando o bastão de tempo inventado por Cisco, que impede Mark de utilizar seus poderes. Porém, mesmo tendo salvado Joe, o Capitão Singh acaba se ferindo no ataque. No hospital, Barry e Joe descobrem que Singh pode ficar paralítico. Joe se enfurece e decide ir atrás de Mark sozinho, pedindo para Barry cuidar da Iris. Procurando por ela, Barry primeiro vai ao local de trabalho da Iris, onde conhece Mason Bridge, que diz ter provas de que Wells matou Simon Stagg. Barry retorna para a casa de Joe onde encontra Iris e os dois conversam sobre Mason e sobre o relacionamente de Barry com Linda. Mais na tarde, na delegacia, ambos descobrem que Mark sequestrou Joe. Ele liga para Iris pedindo para ela aparecer na baía, e que se ela contar a polícia, Joe irá morrer. Barry acompanha Iris e logo os dois veem um tsunami se formar. Barry pede para Iris fugir de lá, mas ela se recusa e revela o amor que sente por ele e os dois se beijam (a cena mais emocionante da temporada). Após beijá-la, Barry liga para Caitlin para saber como impedir o tsunami, e ela diz que ele pode impedir se criar uma barreira de vento, porém nem ela sabe qual a velocidade que ele teria que atingir para poder fazer isso. Barry então revela a Iris que ele é o Flash e corre ao máximo para criar uma barreira de vento e impedir o tsunami de atingir Central City. De repente, um vórtex se abre e o Flash acaba voltando no tempo para o dia anterior, em que Mark retornou para Central City.

Devido a sua reação ao reviver os mesmo eventos, Wells logo descobre que Barry conseguiu voltar no tempo e pede para ele reviver tudo como da primeira vez, mas Barry ignora o pedido de Wells ao prender Mark antes que ele fizesse qualquer coisa, e assim alterando os eventos. Mais tarde, ao visitar Linda, ela termina o namoro com ele. Barry então declara seu amor novamente por Iris, mas ela não corresponde – visto que, com a mudança no tempo, Iris não percebera que também gosta de Barry. A ameaça de Mark é substituída pelo retorno do Capitão Frio, que sequestra Cisco e o obriga a revelar a identidade do Flash. Após impedi-lo de realizar um novo roubo, Barry faz um trato com Frio que consiste de ele não prendê-lo contanto que ele não ameace ninguém próximo a ele e nem mate mais ninguém. Mais tarde, ao conversar com Wells, Barry descobre que Mason Bridge desapareceu e começa a desconfiar de Wells, dizendo para Joe que as suspeitas que ele tinha a respeito de Wells podem estar certas. Eles decidem investigar, porém não há provas concretas que liguem Wells ao Flash Reverso.

Depois que o Trapaceiro (Mark Hammil, lembra dele?) consegue fugir da cadeia e ameaça os cidadãos de Central City durante uma festa de gala em homenagem à reeleição do prefeito, o Trapaceiro e seu filho, o segundo Trapaceiro, prendem uma bomba no pulso do Flash que irá explodir se ele não manter uma velocidade constante. O Flash corre e pede a ajuda de Cisco e de Caitlin. Wells intervém e diz para o Flash que ele pode se livrar da bomba se puder atravessar algum objeto sólido. Após Wells descrever detalhadamente como ele poderia fazer isso, o Flash se livra da bomba e consegue capturar os Trapaceiros, mas o fato de Wells ter descrito tão precisamente como ele poderia usar essa nova habilidade, fez com que ele confirmasse suas suspeitas não só de que Wells pode estar ligado ao assassinato de sua mãe como também ele pode ser o próprio assassino. Sendo que Iris começa a procurar pelo colega desaparecido, Mason Bridge, Joe e Barry decidem revelar a Eddie que ele é o Flash, a fim de ele poder ajudá-los a proteger Iris.

Após Joe e Cisco retornarem de Starling City, pois haviam ido lá para descobrir mais sobre o acidente em que a esposa de Wells, Tess Morgan havia morrido, Barry e o restante do grupo descobrem que de alguma forma o verdadeiro Harrison Wells morreu e a pessoa com quem eles tem interagido é um impostor. Barry, Cisco e Caitlin procuram por algo no STAR Labs que indique que o falso Wells esteja escondendo algo, até que eles conseguem achar um esconderijo secreto. Ao entrarem, eles não só encontram o traje do Flash Reverso, como também encontram um jornal, datado de 25 de abril de 2024, que revela que o Flash desapareceu em uma crise. Barry lê o jornal e se comunica com Gideon, uma Inteligência Artificial criada por ele e descobre que no futuro ele será o Chefe da Divisão de Perícia e casado com Iris, bem como descobre que a noite em que o Flash desapareceu foi na noite em que ocorreu uma batalha entre ele e o Flash Reverso. Questionando Gideon sobre o objetivo de Wells, ela revela que o objetivo dele era matá-lo, mas como não conseguiu, matou Nora e criou o Flash. No ano de 2024, o Flash enfrentou o Flash Reverso nas ruas de Central City e os dois desapareceram em um vórtice de luz. Esse vórtice os trouxe para o ano de 2000, onde o Flash Reverso invadiu a casa da família de Barry com o objetivo de matar o jovem Barry. Os dois se enfrentaram na sala de estar, com Nora no meio deles e com o jovem Barry acompanhando tudo. Flash consegue salvar sua versão jovem, mas Flash Reverso mata Nora.

Barry conta a Joe sobre o ocorrido e Cisco menciona sobre os sonhos que ele teve de ter descoberto que Wells era o Flash Reverso e era morto por ele em seguida. Barry deduz que esses sonhos podem ser memórias da antiga linha temporal, a qual Barry alterou por ter impedido Mark Mardon mais cedo. Com o auxílio de um dispositivo que auxilia ao indivíduo a entrar e explorar seu sonho, Cisco se lembra do que houve, com Wells revelando ser Eobard Thawne, um homem que veio do futuro e que estava na casa de Barry naquela noite para matá-lo, mas acidentalmente matou a mãe dele.

Tom Cavanagh é o grande vilão da primeira temporada: Harrison Wells/ Flash Reverso

Tom Cavanagh é o grande vilão da primeira temporada: Harrison Wells/ Flash Reverso

Eles decidem armar um plano para conseguir prender Wells e arrancar a confissão dele, assim podendo inocentar o pai de Barry. Quando Cisco o confronta, como parte do plano, Wells não confessa e tenta atacar Cisco. Joe intervém atirando em Eobard que cai morto no chão, mas logo eles descobrem que quem morreu foi Hannibal Bates, um meta-humano capaz de se transformar em outras pessoas que eles haviam prendido recentemente. Wells se comunica com eles revelando que sabia que eles o haviam o descoberto o tempo todo. Barry o chama para um confronto, mas Wells se recusa, dizendo que eles irão se enfrentar logo. Cisco consegue rastrear Wells e descobre que ele está no esconderijo dele. Barry vai até lá, mas Eobard já foi embora. Ele logo descobre que Wells os esteve vigiando o tempo, tendo colocado câmeras em todos os lugares da cidade, incluindo no local de trabalho de Iris. Barry deduz que Iris é o próximo alvo de Eobard e vai atrás dela. Quando ele a encontra, Wells sequestra Eddie. Flash acalma Iris, promentendo que irá encontrar Eddie. Quando ele solta a mão dela, uma pequena faísca é liberada da mão dele. Tendo visto isto quando ele esteve em coma após ser atingido pelo raio, Iris descobre que Barry é o Flash. (tá não foi tão legal como na primeira vez que Barry revelou a identidade secreta, teve beijinho e pá, mas valeu a tentativa).

Barry passa a procurar por Eddie, mas não encontra nenhum sinal dele nem de Wells. Enquanto isso, Iris o confronta por ele ter escondido a verdade dela e um novo assaltante surge. Após deter esse assaltante, eles descobrem que ele é o General Eilling, e também descobrem que ele está sendo controlado mentalmente pelo gorila Grodd, resultado de experiências feitas por Eilling e Wells. Barry, Joe e Cisco vão até o esgoto procurar por Grodd, na esperança de poder encontrar Wells e Eddie, mas Grodd derrota Barry usando seus poderes e sequestra Joe. Mais tarde, usando um capacete especial para se proteger dos ataques psíquicos de Grodd, Flash consegue enfrentá-lo e resgata Joe, que deduziu que Grodd foi usado apenas como distração. A busca por Eddie continua sem sucesso, o que deixa Iris preocupada, mas Barry promete a ela que arranjará uma forma de encontrá-lo. Cisco mostra a Barry que descobriu que Wells tinha na cadeira de rodas um dispositivo que o fazia acumular energia, sendo essa a razão de ele ser mais rápido que Barry. A presença de Wells é logo notada quando ele reativa o acelerador de partículas.

Após tentar capturá-lo e após Eddie ser encontrado, Barry, tendo como objetivo levar os meta-humanos para Lian Yu, a prisão da ARGUS vista em Arrow, tenta procurar ajuda para tirar os meta-humanos que foram capturados e movê-los para a ilha, pois se eles estiverem dentro do acelerador de partículas eles morrerão. Não tendo conseguido contatar nem Oliver, nem Ronnie ou Martin, Barry decide recorrer a Leonard Snart, o Capitão Frio, que aceita ajudar Barry na condição de que ele limpe todos os registros de crimes cometidos por Leonard. Barry o faz e Leonard o auxilia a remover os meta-humanos, porém ele os liberta e, após derrotarem o Flash, fogem.

Mais tarde, Wells retorna ao STAR Labs, e Barry parte para um novo confronto, mas dessa vez com a ajuda do Arqueiro Verde e do Nuclear, que chegaram bem no momento do início da luta. Com a ajuda deles, Barry consegue derrotar Wells. Após isso, ele conversa com ele, perguntando qual a razão de ele ter matado Nora. Wells responde dizendo que é porque ele odeia o Flash do futuro, que ambos são grandes inimigos, mas que nenhum teve a força para destruir o outro, até que Eobard descobriu a identidade do Flash e resolveu voltar no tempo para matar o Barry jovem. No entanto, o Flash do futuro o seguiu e eles se enfrentaram. Durante a luta, o Flash do futuro conseguiu salvar o jovem Barry. Tendo fracassado, Eobard percebeu que já que não poderia matar o seu rival, então poderia causar um trauma, sendo assim ele matou Nora. Porém por ter voltado ao passado, ele acabou cortando o laço com a Força de Aceleração, ficando preso no passado, sendo sua única alternativa de voltar ao futuro criar o Flash (e por isso ele o ajudara esse tempo todo).

Wells propõe a Barry que o permita voltar para o tempo dele, enquanto que Barry possa retornar para a noite em que Nora foi morta e impedir Eobard de matá-la. Barry fica pensativo sobre a proposta e, após comunicá-la a Martin Stein, Martin diz que a realidade em que eles vivem já é uma realidade alternativa devido às ações cometidas pelo Flash Reverso, e se Barry impedir a morte de Nora, todo o futuro será alterado e não há como saber se esse futuro será bom ou ruim. Joe diz que Barry deve voltar no tempo, mas Henry, o pai de Barry, discorda. Iris diz a Barry que ele deve tentar fazer isso, e então ele procura Wells para saber como seria possível. Wells explica que Barry deverá correr rápido enquanto que o Acelerador de Partículas é reativado, e assim que ele se chocar com a partícula lançada pelo Acelerador, um buraco de minhoca será aberto, permitindo-o voltar para a noite da morte de Nora enquanto que Eobard possa voltar para o tempo dele. Contudo, se Barry não atingir a velocidade certa, ele morrerá. Detalhe: Barry só teria 1 minuto e 52 segundos (52 é o número favorito da DC) para voltar ao passado, impedir a morte de Nora e voltar ao presente. Após conversar com os seus amigos, que descobrem que se Barry não voltar a tempo o buraco de minhoca criará um buraco negro, ele decide fazer o processo. Enquanto corre dentro do Acelerador de Partículas, Barry se conecta com a Força de Aceleração e consegue ver o seu passado e acontecimentos futuros, como Caitlin se tornando a Nevasca, o Museu do Flash e ele acompanhado da Liga da Justiça, bem como os heróis de Legends of Tomorrow (futura série da DC que se passa no mesmo universo de Arrow e Flash). Ao se chocar com a partícula, o buraco de minhoca é aberto e Barry vai para a noite em que sua mãe foi morta. Ele observa a luta entre o ele do futuro e o Flash Reverso do passado, já que o plano é impedir o assassinato de Nora após o Flash do futuro salvar o jovem Barry. O Flash aguarda, até que sua versão futura (que está usando um uniforme com cores mais vivas) o vê, e dá sinal para que ele não interfira. O Flash do futuro salva o jovem Barry e o Flash Reverso ataca Nora com uma faca. Flash caminha até ela, e depois retira a sua máscara, revelando ser o Barry, e diz a ela que ele e Henry ficarão bem. Ele permanece ao lado dela até que ela morre diante dele (Suor masculino escorreu pelos meus olhos ao ver essa cena). 

Flash retorna para o presente e impede Wells de voltar para o tempo dele, quebrando sua cápsula do tempo. Os dois se enfrentam e Wells se mostra vantajoso, chegando perto de matar Barry, mas só não o faz porque Eddie (sendo antepassado de Eobard) se suicida. Wells reverte para a sua aparência de Eobard e é apagado da existência (para entender melhor leia meu artigo anterior – De Volta Para o Futuro, ou veja os filmes), enquanto que Eddie morre nos braços de Iris. Com a morte de Eddie o fluxo temporal entra em colapso, criando um buraco negro que começa a se expandir cada vez mais e pode sugar todo o universo. Flash entra no buraco negro na esperança de conseguir fechá-lo. O episódio final da temporada acaba aí, nos deixando com aquela expectativa de “quero mais”… Não sei o que acontece a partir daí. A Segunda Temporada está em exibição na TV, mas eu ainda não assisti. Assim que ela estiver completa postarei aqui no Blog para apreciação. Se você não assistiu, assista! Flash é uma das melhores séries de herói em exibição no momento.

Diferenças entre o Barry Allen do Universo Televisivo da DC Comics e o Barry Allen dos quadrinhos

  • Nos quadrinhos Barry é loiro, mas na série tem cabelo castanho.
  • Nos quadrinhos, ao menos na versão dos Novos 52, o personagem tem entre 25 e 30 anos. Na série, Barry tem 25 anos de idade.
  • Apesar de a forma como o personagem obteve os poderes ser muito fiel ao material fonte, nos quadrinhos não foi o acelerador de partículas que fez Barry se tornar o Flash, mas sim um raio que o atingiu e o lançou contra frascos de produtos químicos (nessa parte a série de 1990 foi mais fiel).
  • Após a morte de sua mãe, Barry não foi criado por Joe West, como mostrado na série, mas sim pelo Capitão Frye, que, ao menos na versão dos Novos 52, era amigo de Nora, e também seu amante.
  • Barry só conheceria Iris quando adulto. Nos quadrinhos eles conhecem quando Iris entrevista Barry acerca de um assassinato que ele estava investigando. Nos Novos 52, eles se conheceram em Gotham, durante o evento conhecido como Ano Zero, o qual marcou o surgimento do Batman na cidade.
  • Na série, Barry namorou Linda Park, mas nos quadrinhos, pelo menos antes dos Novos 52, ela namorou e se casou com Wally West, sobrinho de Iris nos quadrinhos e sucessor de Barry como Flash.
  • Barry utiliza barras energéticas para não se esgotar enquanto utiliza seus poderes. Nos quadrinhos, era Wally quem utilizava essas barras energéticas.
  • O uniforme na série possui pequenas semelhanças com o uniforme dos Novos 52, porém é diferente tanto da versão Novos 52, quanto da versão clássica. Na versão clássica, o uniforme é vermelho escarlate e feito de um tecido flexível e resistente a atrito, nos Novos 52, a cor é a mesma, mas o uniforme é uma armadura com alguns detalhes desenhados em forma de raios, porém, a partir da edição 41 de The Flash (de junho de 2015), o herói passa a usar um uniforme mais semelhante ao usado por Grant Gustin na série. Na série, o uniforme é de um tecido resistente a atrito, se assemelhando a um tecido de couro, e também possuem alguns detalhes desenhados em forma de raios, contudo a cor é vermelho vinho. Apesar dessa mudança, já foi explicado pelos produtores que o uniforme na série é apenas um protótipo e que, aos poucos, Barry terá um uniforme mais semelhante ao dos quadrinhos.
  • Nos quadrinhos, principalmente na versão dos Novos 52, quando não está sendo o Flash, Barry costuma passar a maior parte do tempo no trabalho ou em casa. Na série, ele costuma sair com os amigos.
  • Nos quadrinhos, Barry possui um relacionamento conturbado com o seu pai, enquanto que na série a relação deles é boa.
  • Barry e Oliver são grandes amigos na série, Barry deu uma máscara para Oliver, a qual o personagem passou a usar como parte de seu uniforme de Arqueiro (como visto no episódio 2.09 de Arrow, “The Three Ghosts”), e Oliver aconselhou Barry quando este não sabia o que fazer com todo duvidando dele (como visto no episódio 1.01, Pilot). Nos quadrinhos, por outro lado, os dois se detestavam, chegando a diversas vezes brigarem, geralmente por terem pontos de vistas políticos opostos ou por terem modos diferentes de agir, e a única coisa que tinham em comum, além do fato de serem herói e membros da Liga da Justiça, era o fato de terem Hal Jordan como melhor amigo. Na série, os dois chegaram a discutir por um não concordar com o modo de agir do outro, como visto no episódio 1.08 “Flash vs Arrow” de The Flash e no episódio 3.08 “The Brave and the Bold” de Arrow.
  • Nos quadrinhos, Iris descobriu que Barry era o Flash depois de casada com ele, e isso ocorreu duas vezes. Na primeira foi durante a lua de mel deles, onde enquanto Barry estava sonhando, ele disse em voz alta que era o Flash. A outra ocasião foi nos Novos 52, em The Flash Annual #3, em um futuro alternativo, Iris e Wally sofreram um acidente de carro que causa a morte de Wally e deixa Iris paraplégica. Quinze anos após o acidente, Barry revela a ela que é o Flash. Já na série, Iris descobre duas vezes também. A primeira foi no episódio 1.15 “Out of Time”, onde após Mark Mardon lançar um tsunami em direção de Central City, Barry e Iris declaram o amor que sentem um pelo outro e Barry revela que é o Flash. A outra ocasião é no episódio 1.20 “The Trap”, onde Iris ao tocar o Flash sente um choque, e isso havia ocorrido quando ela havia tocado a mão de Barry enquanto ele estava em coma.

Já estava para terminar a postagem quando me lembrei que brevemente vamos ter um filme do Flash nos cinemas, que se interligará com o Universo Cinematográfico da DC (iniciado com Homem de Aço). Infelizmente não terá ligação com a série e o Flash será interpretado pelo ator Ezra Miller. Há rumores de que Ezra fará uma ponta como Flash já em Batman vs Superman, que estreará em março do ano que vem. Mas só nos resta aguardar pra ver…

Sessão Nostalgia: De Volta Para o Futuro (1985/1989/1990)

Michael J. Fox interpreta o protagonista da série, Marty McFly - e também alguns de seus parentes durante as idas e vindas no tempo de Marty.

Michael J. Fox interpretou o protagonista da série, Marty McFly – e também alguns de seus parentes durante as idas e vindas no tempo de Marty.

21 de outubro de 2015. Para muitos, uma data qualquer, mas para quem acompanhou a saga da viagem no tempo de Marty McFly e do Doutor Emmett L. Brown que fez um puta sucesso nos anos 80, essa foi uma data histórica. Isso porque em um dos filmes da trilogia, a dupla viajaria exatamente para essa data – claro que 2015 não se tornou o mundo dos carros voadores que aparece no filme; mas muitas coisas futurísticas que existem no filme realmente foram inventadas depois. E hoje, 30 anos depois do lançamento do primeiro filme (que aqui no Brasil só chegou no natal de 1985 – naquela época era muito mais demorado para um filme americano chegar por aqui) que animou e muitos as nossas Sessões da Tarde – até a Record comprar os direitos de exibição sobre os filmes da Universal – era hora de fazer uma maratona com os três filmes da série e ver o que mudou nos últimos 30 anos. Mas mesmo passados 30 anos do lançamento do primeiro filme, descobri que Back to the Future é atemporal. Não importa se você assistiu em 85, 2015, ou vai assistí-lo em 2045… ainda assim os filmes vão ser bons e prender a atenção do espectador – e creio que um remake dessa série seria desnecessário, só serviria para assassinar um clássico. Só digo uma coisa: as contantes idas e voltas no tempo podem explodir a sua cabeça, então preste bem atenção para não se perder.

Eric Stoltz foi originalmente contratado para interpretar Marty McFly quando Michael J. Fox estava ocupado filmando a série de TV Family Ties. Entretanto, durante as filmagens, Stoltz e os cineastas concordaram que ele foi a escolha errada, então Fox recebeu uma nova proposta e ele conseguiu trabalhar em uma agenda que permitia se comprometer aos dois projetos; a subsequente mudança no elenco significou que a equipe deveria correr através das refilmagens e da pós-produção para completar o filme para sua estréia no dia 3 de julho de 1985 (nos EUA).

De Volta Para o FuturoMarty McFly é um adolescente vivendo com uma família sem vida e sem ambição na cidade de Hill Valley, Califórnia. Seu pai, George McFly, é constantemente intimidado por seu supervisor de trabalho, Biff Tannen; e sua mãe infeliz, Lorraine Baines McFly, está acima do peso e tem um problema com bebida. Os irmãos de Marty, Dave e Linda, vivem ainda na casa dos pais trabalhando em subempregos. Almejando alcançar seu sonho de tornar-se um astro de rock, Marty e sua banda fazem um teste para tocarem em uma festa da escola, no qual acabam sendo rejeitados. Apesar do revés, a namorada de Marty, Jennifer Parker, o encoraja a não desistir de seus objetivos e acreditar em seu futuro. No jantar daquela noite, Lorraine conta à família como ela e George se apaixonaram no ano de 1955 quando seu pai o atropelou na rua.

 Na madrugada do dia 25 de outubro de 1985, Marty encontra seu amigo, o cientista Dr. Emmett Brown, no Twin Pines Mall às 1:15 a pedido do Doutor. Lá, ele revela ao rapaz um DeLorean DMC-12 modificado para tornar-se uma máquina do tempo; o deslocamento temporal do veículo, que é acionado quando a máquina atinge 88 milhas por hora de velocidade, é providenciado por um aparato chamado “Capacitor de Fluxo”, que exige 1,21 Gigawatt providenciados por fissão nuclear. Para conseguir o plutónio que abastece o reator, o Doutor enganou um grupo de terroristas líbios que queriam que ele construísse uma bomba nuclear. Após um teste com seu cachorro, Einstein, o Dr. Brown se prepara para viajar para o futuro, quando os líbios aparecem e matam o cientista a tiros de metralhadora. Indefeso, Marty tenta escapar no DeLorean, porém, durante a fuga, acidentalmente aciona o capacitor de fluxo e, ao alcançar a velocidade de 88 milhas por hora, é transportado para 5 de novembro de 1955, uma data que o Doutor havia programado nos instrumentos de navegação do DeLorean como um exemplo – a data em que ele acidentalmente inventou a viagem no tempo ao cair no banheiro e bater a cabeça na pia. Sem força, o carro eventualmente se desliga sozinho e Marty agora encontra-se preso em 1955.
Christopher Lloyd deu vida ao cientista Emmett Brown, o inventor de uma máquina do tempo em forma de carro.

Christopher Lloyd deu vida ao cientista Emmett Brown, o inventor de uma máquina do tempo em forma de carro.

Ao explorar a Hill Valley daquela década, Marty acidentalmente encontra seu pai, George, como um adolescente que é intimidado por Biff. Quando George está prestes a ser atropelado pelo carro do pai de Lorraine, Marty o empurra salvando-o e recebendo o impacto em seu lugar. Como resultado, a jovem Lorraine fica apaixonada por ele e não por George. Marty fica perturbado pelos flertes dela e parte da residência dos Baines para encontrar o jovem Doutor Brown de 1955. O rapaz eventualmente convence o incrédulo Emmett de que ele é realmente um viajante do tempo e pede sua ajuda para voltar a 1985. O Doutor explica que a única fonte de energia capaz de gerar 1,21 Gigawatts é um raio. Marty então mostra a ele um panfleto que ele havia recebido no dia anterior na praça do relógio da Torre sobre um raio que havia atingido a Torre do Relógio da cidade, desativando-o desde então. O panfleto indicava que um raio iria atingir o relógio da corte judicial de Hill Valey no sábado seguinte às 22h04min. Com esta informação, o Doutor cria um plano para fazer a energia do raio ser direcionada para o Capacitor de Fluxo do DeLorean. Todavia, os dois observam uma complicação ao ver a imagem dos irmãos de Marty desaparecendo em uma foto: Marty impediu que seus pais se encontrassem e comprometeu a existência dele e de sua família.

Durante toda a semana seguinte, Marty tenta consertar o paradoxo temporal e salvar seu futuro com seus pais, porém ele só consegue que o interesse de Lorraine por ele vá gradativamente aumentando. Para poder fazer os dois se apaixonarem, Marty planeja fazer George “resgatar” Lorraine dos avanços sexuais encenados por ele na noite do baile “Encantamento do Fundo-do-Mar“. Entretanto, o plano não corre exatamente como o planejado, já que Marty é interrompido por um embriagado Biff que inesperadamente surge, tirando Marty do carro e abusando de Lorraine. George aparece como planejado para resgatá-la de Marty, porém acaba encontrado Biff. Apesar das ameaças de Biff, George abandona sua costumeira submissão e o enfrenta pela primeira vez, lhe dando um forte soco no rosto, deixando-o inconsciente. Lorraine e George vão para o baile onde eles se beijam pela primeira vez, assegurando a existência de Marty e seus irmãos.

Com seu futuro salvo (e após tocar a música Johnny B. Goode, de Chuck Berry – que na vida real só seria lançada 3 anos depois, em 1958), Marty chega na cena do antecipado raio na torre do relógio onde o Doutor está fazendo os preparativos finais. Marty tenta avisá-lo sobre seu assassinato em 1985 com uma carta, porém o Doutor a rasga sem ler, com medo de alterar o futuro. Um enorme galho de árvore acidentalmente desconecta o arranjo de fios do Doutor para capturar a energia do raio, porém os dois consertam as conexões a tempo de enviar Marty e o DeLorean de volta para 1985. Apesar de Marty chegar tarde demais para impedir que o Doutor fosse baleado, o Doutor revela que ele juntou os pedaços da carta, descobrindo sobre seu iminente assassinato. Assim sendo, muniu-se previamente com um colete a prova de balas.

O Doutor deixa Marty em sua casa e vai para o futuro. Marty acorda na manhã seguinte e descobre que de alguma forma o seu presente foi alterado devido à viagem no tempo. Sua família melhorou significativamente e está mais feliz. Seus irmãos estão em bons empregos, Lorraine é magra e jovial, e um autoconfiante George é um autor de ficção científica de sucesso. Mais notavelmente, George e Lorraine tem uma relação íntima que eles nunca tiveram, enquanto Biff se tornou dono de uma oficina, além de agora ser submisso a George. No momento que Marty reencontra Jennifer, o Doutor aparece, insistindo para que eles o acompanhem até o futuro para resolver um problema com seus filhos. Com o Doutor no volante, Marty e Jennifer entram num melhorado DeLorean (agora um carro voadorcom o capacitor de fluxo funcionando à base de lixo reciclado e não de plutônio- tecnologia do futuro) e vão para o futuro.

de-volta-para-o-futuro-2-1Em De Volta Para o Futuro II, após se recompor da sua viagem a 1955, Marty reencontra-se com a sua namorada Jennifer, que estava ansiosa para dar um passeio com o carro novo de Marty, que Biff tinha acabado de deixar na garagem.

No momento que eles iam se beijar, aparece Emmett com o DeLorean, avisando-o que tinha que ir com ele para o futuro, para 2015, pois já lá tinha estado e tinha visto o casamento dele com Jennifer e, vira também como Marty iria ter problemas com seu filho. No futuro, Emmett aproveitou também para introduzir um mecanismo de vôo no DeLorean, dado que em 2015 todos os carros voavam. Como Emmett queria manter o segredo da máquina do tempo com Marty, rapta também Jennifer para que não contasse a ninguém o que viu e, induz-lhe radiação alfa para adormecer e, quando acordar, pensar que fosse um sonho. Biff vê o DeLorean levantar vôo e desaparecer no ar, ficando apavorado.

Quando chegam a 21 de outubro de 2015, Emmett dá a Marty roupas especiais automatizadas para que pareça com seu filho Marty McFly Jr. Chegando ao centro de Hill Valley, vê a cidade totalmente transformada, ainda com a mesma torre do relógio e com o mesmo peditório a decorrer para que não fosse modificada, mas já com uma pista de aterragem de automóveis e, uma oficina de transformação de carros em carros voadores e, também um espectáculo holográfico para crianças, que simulava uma cena em que o espectador é engolido por uma versão High-Tech holográfica de um suposto “Tubarão 19” (o mesmo do antigo filme de Steven Spielberg), que assustou Marty.

Ao ver o “Café Anos 80“, Marty entra e, intrigando-se com os “garçons” holográficos (alternados entre Michael Jackson, Ronald ReaganAyatollah Khomeini), pede um refrigerante, que lhe é entregue imediatamente. Encontra lá o seu filho, Marty Jr, no qual se espanta por ser tão parecido com o pai e, se espanta também ao ver que o seu filho é um covarde, pois está a ser gozado e agredido por Griff (neto de Biff), querendo que ele participe de um roubo. Para defender o filho, Marty faz-se passar por ele e, consegue tirar um hoverboard (uma espécie de skate voador para crianças) de uma garotinha e, fugir dos perseguidores antipáticos do filho. Inicia-se uma perseguição muito parecida com a que Marty provocara em 1955 no primeiro filme ao defender sua mãe Lorraine do jovem Biff, com o velho Biff dizendo: “Essa cena é muito familiar”.

Após despistá-los, Marty vê numa loja de antiguidades, um almanaque desportivo que continha todos os resultados das competições esportivas entre 1950 e 2000. Decide comprar o livro, mas Emmett aparece no DeLorean e diz-lhe que ele não construiu o DeLorean para ganhar dinheiro, mas sim para pesquisar e que ninguém deve saber das coisas antes delas acontecerem. Joga então o livro no lixo, mas Biff (o velho) vê o livro e decide embarcar no DeLorean para entregar para si mesmo quando jovem. É aí que Jennifer é vista pela polícia que, ao verificar a sua identificação, a leva para “casa”, algo que assusta Emmett pois assim ela encontrar-se-á com a sua pessoa de 2015. Então, Emmett chega à conclusão que as viagens no tempo são muito arriscadas e perigosas e, decide parar com esse projeto logo após regressar com Marty e Jennifer a 1985.

No entanto, Biff, ao perceber tudo o que se passava, decide alterar o seu passado. Aproveita o facto de Marty e Emmett se ausentarem da máquina do tempo para irem buscar Jennifer na “casa” para roubar o DeLorean e, regressar diretamente a 1955, a 12 de Novembro, para se encontrar consigo próprio dessa época e, dar-lhe o almanaque para que pudesse fazer apostas e ganhar imenso dinheiro com isso e, também arranjar uma maneira de se casar com Lorraine que sempre foi o seu grande amor. O jovem Biff, pensando tratar-se de um velho louco, não lhe dá confiança e maltrata-se sem saber, mas este prova-lhe a eficácia do uso do almanaque quando liga o rádio do carro do jovem Biff e, está a acabar um jogo de futebol em que o velho Biff diz o resultado certo antes de acabar.

Biff, volta imediatamente a 2015, sem que Marty e Emmett percebessem nada. No entanto, ao alterar o seu passado, Biff criou uma nova realidade, que fez com que desaparecesse pois, entre 1985 e 2015 ele é assassinado (em 1996 por Lorraine, quando esta descobre que foi ele quem matou George McFly) e, por isso, assim que regressa a 2015, é apagado da existência. Emmett, Marty, Jennifer e Einstein entram no DeLorean e voltam a 26 de Outubro de 1985. No entanto, Marty nota muitas alterações na sua casa e, notando que as suas chaves não abrem a porta, decide entrar pela janela. Descobre então que é outra família que habita a casa e, ao pensarem que se trata dum assalto, tentam matar Marty e chamam a polícia. Ninguém em Hill Valley reconhece Marty e Biff é o homem mais importante da cidade e dono dum enorme complexo que engloba um hotel, um cassino um museu e uma usina de beneficiamento de produtos radioativos no local onde ficava a corte judicial da cidade (a torre do relógio).

É nesse momento que Marty descobre que também é enteado de Biff, e é apanhado pelos seguranças do hotel do padrasto, onde supostamente “vive”. Ao encontrar a mãe casada com um homem sem ser o pai, este pergunta-lhe o que acontecera a George, e ela lhe diz que morreu num acidente, a 15 de Março de 1973 quando, na verdade, foi morto por Biff para que este ficasse com Lorraine. Marty vai visitar a tumba do pai e é aí que aparece Emmett e lhe explica o que se passou, pois Biff, quando voltou para 1955, alterou a história e perdeu sua bengala, que ficou dentro do DeLorean. Também se esqueceu do saco e da factura de compra do almanaque desportivo. Emmett associa os factos e descobre o que se passou e, explica a Marty que por Biff ter alterado o seu passado, gerou uma nova linha de acontecimentos completamente diferentes dos que se tinham vivido até então.Para corrigir esse erro e para se voltar à vida tal e qual como era, seria necessário achar o ponto do tempo onde Biff deu o almanaque desportivo a ele mesmo e, impedir que isso acontecesse. Logo a seguir, voltaria tudo ao normal como se nada de diferente se tivesse passado.

O DeLorean - a máquina do tempo mais famosa do cinema.

O DeLorean – a máquina do tempo mais famosa do cinema.

Marty vai falar com Biff que lhe explica o dia em que se encontrou com ele mesmo mais velho e lhe deu o almanaque. O velho Biff dissera-lhe que se um rapaz e um cientista maluco com olhos esbugalhados  perguntassem como se tinha passado tudo, era para os matar. Biff começa a perseguir Marty aos tiros e, acabam no telhado do hotel onde Marty finge suicidar-se, pulando do prédio. Emmett apercebendo-se da situação decide salvar Marty para enganar Biff. Não está mais que a saltar para cima do DeLorean que se aproxima do cimo do hotel e, Emmett abre a porta de forma a bater na cabeça de Biff e assim o deixa desacordado.

Marty explica a Emmett que terão de voltar a 12 de Novembro de 1955, que foi esse mesmo dia que Biff escolheu para alterar o seu rumo. Emmett acha que para haver tanta coincidência, esse é o ponto central de todo o tempo. Ao chegar a 1955, Marty irá seguir os dois “Biffs” de forma a tirar-lhes o almanaque e Emmett irá vigiar a máquina do tempo para que ninguém mais a roube e, mantém-se escondido para não se cruzar com ele mesmo mais jovem (que nesse exato dia está ajudando o Marty do passado a voltar para os anos 80 – vide primeiro filme).

Marty consegue esconder-se no carro de Biff, onde estão eles dois. Inicialmente a tarefa parece bastante difícil. Biff, ao notar que é observado por Strickland (o inspetor da escola), disfarça uma revista erótica soft-core com a capa do almanaque, enganando também Marty. Mas à noite, durante o baile “Encantamento do Fundo-do-Mar” (onde o Marty passado também está presente tentando fazer com que os pais namorassem), Marty enfrenta mesmo Biff e após bastante luta consegue o almanaque verdadeiro. Biff persegue-o, mas graças ao Hover Board de 2015 e de uma corda presa ao DeLorean voador, este iça Marty e, os dois conseguem despistar Biff em um túnel, que bate novamente em um caminhão de esterco. Marty consegue queimar o almanaque. Logo após a queima do almanaque, Marty vê as notícias dos jornais de 1985 de Biff a alterarem-se para os factos que ele antes conhecia (e outros novos, como o Dr. Brown sendo condecorado por seus inventos e o pai de Marty, George McFly, sendo homenageado por ser um escritor de sucesso).

No entanto, nesse exato momento começa a tempestade de raios que destruiu a torre do relógio (e que ajudou Marty a voltar para os anos 80 no primeiro filme). Devido ao vento forte, Emmett não consegue aterrissar o DeLorean para Marty embarcar e voltar a 1985. Um raio passa ao lado do DeLorean que quase o atinge. Quando Emmett tenta aterrissar mais uma vez, o carro é atingido por um segundo raio e desaparece imediatamente. Marty pensa que Emmett foi eletrocutado e morreu mesmo e então começa a chorar. No entanto, um carro para em frente a Marty. Era um carteiro que trazia uma carta para ele, que datava de 1885. Era de Emmett que explicava que o raio tinha embaralhado o capacitor de fluxos, mandado o DeLorean de volta para 1885. Tanto Emmett como Marty estão aparentemente presos no tempo em alturas muito distintas. Marty corre para a cidade atrás do Dr. Brown mais jovem, no exato momento em que o Emmett de 1955 acabava de enviar Marty do filme anterior para 1985. Segundos depois da partida do Marty passado, aparece o do presente, dizendo que voltou do futuro e precisa de novo da ajuda do Doutor. Emmett pensa que está tendo um sonho e cai desacordado. Seis meses depois sairia a conclusão da história…

De volta para o futuro 3Com um espaço de apenas seis meses entre o segundo e o terceiro capítulos, em maio de 1990 seria lançado De Volta Para o Futuro III, que figura mais como uma homenagem aos clássicos filmes de faroeste (inclusive com Marty chamando a si mesmo de Clint Eastwood, em homenagem ao ator que fez tanto sucesso nesse gênero). O filme começa no exato ponto onde acaba o anterior. Após o DeLorean ter sido atingido por um raio e assim ter sido mandado para 1885 com Emmett a bordo, Marty recebera uma carta deste relatando o que se tinha passado. Na carta, Emmett dizia a Marty para contar com a ajuda do Emmett de 1955. Marty então procura o Dr. Brown de 1955  no exato momento que este tinha acabado de enviar o primeiro Marty para 1985 – vide primeiro filme – e então fica apavorado pois pensa que está tendo uma visão de Marty e desmaia. Marty leva-o para sua casa. Na manhã seguinte, 13 de Novembro de 1955, Emmett acorda e pensa que teve amnésia após ter visto Marty. É nesta altura que Marty lhe conta a história de Biff e do almanaque de esportes, bem como do raio que atingira o DeLorean. O Emmett de 1955 não acredita, mas Marty dá a Emmett a carta que seu eu do futuro escrevera, que datava de 1 de Setembro de 1885. Este começa a lê-la mas mesmo assim não fica muito convencido. Na carta, Emmett dizia que para passar despercebido em 1885, época do Velho Oeste, tornara-se ferreiro. Levara oito meses tentando reparar o capacitor de fluxos, mas não conseguira pois em 1885 ainda não havia as peças necessárias para o capacitor. Além disso o raio destruíra também o mecanismo de voo introduzido no carro em 2015. Decidira então enterrar a máquina numa mina adjacente ao cemitério de Hill Valley e, pede à sua pessoa de 1955 que ajude Marty a reparar o DeLorean e assim este poder regressar de novo a 1985. Mais, pede a Marty que não tente ir a 1885 buscá-lo, pois é demasiado arriscado.

Marty e Emmett de 1955 vão para a mina que estava num mapa anexo que o Emmett futuro lhe enviara também e, conseguem desenterrar o DeLorean e, seguindo as instruções deixadas no seu interior escritas por Emmett, conseguem reparar o capacitor de fluxo e assim fazê-lo funcionar. Nessa noite, Emmett dá pela falta do seu cão de 1955, Copérnico e, pede a Marty que o vá procurar. Este encontra o cão a ganir ao pé duma das tumbas do cemitério. Não dando importância, Marty pega no cão mas repara que não se tratava duma tumba qualquer. Era a tumba do Dr. Emmett L. Brown que falecera em 7 de Setembro de 1885 e, estava escrito no epitáfio que tinha sido morto num duelo devido a um ajuste de contas com Bufford Tannen, um famoso bandido e atirador do Velho Oeste mais conhecido como “Cachorro Louco Tannen” – bisavô de Biff – devido ao seu mau feitio. A tumba de Emmett tinha igualmente escrita uma dedicatória de uma mulher, Clara que se dizia o grande amor de sua vida. Ao deparar-se com tal cenário, apavorado, Marty grita por Emmett que corre logo para ver o que se passava. Este fica igualmente apavorado e decide investigar na biblioteca local. Descobre que Bufford matara 12 homens em duelos e também dezenas de índios e chineses, mas não constava na lista nenhum Emmett L. Brown pois não havia registros precisos das mortes atribuídas a Tannen já que esse matou um jornalista que publicou matéria desfavorável a Tannen.

Logo após repararem o DeLorean, Emmett de 1955 pede a Marty que fosse a 1885 resgatar seu outro eu antes que fosse morto, para que não se apagasse da existência. Dá a Marty umas roupas de cowboy para passar mais despercebido. Este aceita e na manhã seguinte, 14 de Novembro de 1955, Marty parte para 2 de Setembro de 1885, data escolhida por Emmett de 1955 por ser o dia seguinte ao outro Emmett ter escrito a carta e ainda ter algum tempo para salvar Emmett de ser morto. Chegando a 1885, Marty depara-se com uma parada de índios, que se tentam aproximar do carro e ainda atingem o tanque de gasolina do carro com uma flecha, danificando-o gravemente. Depois, Marty ainda é perseguido por um enorme urso preto. Mesmo assim, ainda consegue esconder o DeLorean numa caverna para que fosse visto mais tarde pelo Dr. Brown. Ao fugir do urso, Marty acaba derrubando a cerca da propriedade dos seus trisavós paternos Seamus e Maggie McFly e bate com a cabeça ficando inconsciente.

Seamus acolhe Marty e trata de seus ferimentos. Este dorme e quando acorda pensa tratar-se dum sonho. Quando percebe mesmo que estava na casa dos trisavós em 1885, adota o nome de Clint Eastwood, o célebre ator/realizador do seu tempo conhecido pelos seus Westerns. Seamus e Maggie tinham acabado de ter um filho, William McFly, (bisavô de Marty). Seamus e Maggie estranham o fato de William se adaptar à presença de Marty, pois uma característica do bebé era chorar e berrar quando ia alguém desconhecido a casa. Por isso, Seamus e Maggie deixam Marty ficar por mais um dia e depois, Seamus leva Marty às linhas de trem para este as seguir até ao centro de Hill Valley.

Chegando ao centro de Hill Valley, Marty encontra apenas alguns mercados de rua, um bar central, e um tribunal de rua para executar os condenados. Encontra também um peditório e o anúncio dum festival, ambos para angariação de fundos para a construção de uma certa torre do relógio tão importante para a história. Marty dirige-se ao bar e toda a gente estranha a forma como ele está vestido e até mesmo o jeitão de Marty. Entra num bar e pede água mas no bar só serviam whiskie. Nesse exato momento entra Bufford Tannen e a sua quadrilha no bar, e logo de cara confundem Marty com Seamus. Seamus e Bufford eram grandes inimgos e Bufford quase que expulsa Marty do bar. Ao ver que não se tratava de Seamus e que a sua forma de vestir e calçar eram muito estranhas para a época, Bufford começa a gozar com Marty e, disputam uma espécie de duelo dentro do bar. Marty foge mas Bufford e a sua quadrilha perseguem-no a cavalo e conseguem apanhá-lo, atirando-lhe uma corda no pescoço e assim o arrastar até ao centro da cidade, à obra da torre do relógio. Quando Marty estava prestes a ser enforcado, aparece o Dr. Brown que dispara contra a corda para libertar Marty.

Emmett, sendo ferreiro, estava responsável por cuidar das ferraduras dos cavalos de Bufford e, por estas ficarem com alguns defeitos, Bufford exige-lhe que Emmett pague seu prejuízo. Emmett diz-lhe que quem trabalha é que recebe mas Bufford não se convence e jura ainda vingar-se de Emmett. Emmett repreende Marty por não ter seguido as suas instruções de regressar diretamente a 1985 mas, fica também contente por vê-lo. Marty mostra a Emmett a foto da sua “lápide” tirada em 1955 e este fica apavorado e acha que devia ter pago a quantia que Bufford está exigindo. Contudo Emmett estranha ao ver a dedicatória de uma mulher apaixonada, pois diz que não conhece nenhuma Clara e muito menos se envolveria numa relação amorosa em 1885 para não perturbar ainda mais a continuidade espaço-tempo. Os dois vão imediatamente ver o DeLorean que com o furo no tanque de combustível não pode andar. Emmett junta todos os seus cavalos e coloca-os a rebocar o carro, mas estes só conseguem atingir cerca de 24 mph. Tenta novamente colocar gim no depósito de combustível, por este conter muito teor alcoólico e daí poder gerar força para alimentar o motor, mas em vez disso, acaba por danificar o carro mais ainda. Emmett pensa então que está mais uma vez preso no tempo com Marty.

Hill Valley situava-se após o Desfiladeiro Clayton, em homenagem a uma mulher chamada Clara Clayton que ali perdera a vida quando se dirigia para a cidade para trabalhar como professora. A carruagem onde seguia era puxada por dois cavalos que, acidentalmente pisam uma cobra. Com os movimentos da cobra, estes assustam-se e começam a correr descontroladamente, caindo no precipício. O incidente dera-se precisamente a 4 de Setembro de 1885. Ao estarem ali por perto, Marty e Emmett assistem à fuga descontrolada da carruagem. Quase sem pensar, Emmett vai logo em socorro da sua ocupante, Clara, e salva-a, caindo apenas os cavalos, a carruagem e a bagagem de Clara. Só mais tarde é que Marty associa o nome do precipício ao nome de Clara e percebe que o futuro foi de alguma forma alterado, fato que o deixa bastante preocupado.

Mais do que nunca, é essencial que Marty e Emmett saiam de 1885. Então o único plano possível era: adaptar as rodas do DeLorean para rodas de ferro e colocá-lo nas linhas de trem e roubar uma locomotiva a vapor de forma a que esta pudesse empurrar o DeLorean até este atingir as 88 mph e assim poder regressar a 1985. Porém o próximo trem só sairia as 8 horas da manhã de 8 de Setembro de 1885. É escolhido como percurso a saída de Hill Valley por uma ponte inacabada no Desfiladeiro Clayton, (inacabada em 1885, mas em 1985 já estava pronta) . Na noite de 5 de Setembro ocorre o Festival de Hill Valley, onde foi inaugurada a Torre do Relógio. É nessa noite também que o relógio começa a funcionar. É aí que Bufford e a sua quadrilha tentam procurar e matar Emmett ainda por causa dos cavalos. São impedidos de entrar pelo prefeito de Hill Valley, então Bufford embosca o Doutor fora do festival. Marty tenta defender o amigo, mas ao fazer isso altera novamente o futuro, assim Marty agora é o alvo do duelo que era para ser com Emmett. Entretanto a foto da lápide começara-se a alterar. Desta vez aparecia na foto uma lápide vazia sem nada escrito. Foi nesse festival que Emmett e Clara começaram a se conhecer melhor. Tal como Emmett, Clara era também uma apaixonada pela literatura de Júlio Verne, cujo tema central eram as viagens no tempo e, eram os dois também apaixonados pela ciência e novas descobertas.

A relação entre Emmett e Clara vai-se intensificando mais, mas Emmett decide que precisa regressar a 1985 o quanto antes com Marty para que não aconteçam mais desgraças no passado que venham a prejudicar o futuro. Decide então ir se despedir de Clara mas esta parece não o deixar ir embora. Então, Emmett conta toda a verdade acerca da máquina do tempo mas Clara pensa que Emmett está a gozar dela com a literatura de Júlio Verne e, dá-lhe uma bofetada. Emmett então, decide partir. Destroçado vai para o bar da cidade central e embebeda-se, no exato momento em que Bufford e a sua quadrilha aparecem para o dito duelo. Clara embarca num trem, sem saber que é o trem que Marty e Emmett irão roubar para empurrar o DeLorean, com destino a São Francisco. No meio da viagem sente-se arrependida por ter deixado assim Emmett e começa a pensar que Emmett poderia estar sim dizendo a verdade. Clara sai do trem e volta a pé para Hill Valley. Emmett, já no auge da bebedeira cai desacordado no chão. Passado algum tempo se recupera. Quando se recupera sai do bar com Marty para se dirigirem para o trem. Só que Bufford e a sua quadrilha aparecem para o duelo. Graças às técnicas de defesa de Marty, por este ser do futuro, ainda não exploradas em 1885, Marty (que durante toda a sua estadia em 1885 é conhecido, exceto para o Doutor, como Clint Eastwood) consegue derrotar Bufford e assim faz com que a quadrilha de Tannem sejam presos pelos muitos assaltos e assassinatos que cometeram.

Emmett e Marty correm a cavalo para as linhas de trem. Conseguem apanhar o trem ainda antes do ramal que dava para o precipício. Emmett imobiliza os maquinistas do trem para que este possa tomar conta da locomotiva. Após desagregarem a locomotiva do resto do trem, Emmett leva a locomotiva pelo tal ramal, onde se encontrava o DeLorean pronto para poder ser empurrado pela mesma. Marty programa os circuitos temporais do DeLorean para 27 de Outubro de 1985 e a operação começa. Emmett tinha consigo explosivos para acelerarem a velocidade da locomotiva. À medida que as explosões ocorriam a velocidade aumentava e o DeLorean aproximava-se da velocidade necessária para regressar a 1985. Quando tudo parecia estar certo e a dupla voltar para 1985, aparece Clara, que pede desculpa a Emmett e diz que quer ficar com ele. Como já estão muito próximos do precipício, não é possível pararem e muito menos voltarem para trás. Marty ainda tinha no DeLorean o hoverboard de 2015 e atira-o a Emmett e este consegue salvar Clara. O Doutor decide ficar em 1885 com Clara e o resto da viagem ocorre sem incidentes. Marty regressa sozinho a 1985. O desfiladeiro chama-se agora Desfiladeiro Eastwood, em homenagem a Clint Eastwood (Marty), já que ele tinha sido visto a roubar a locomotiva e esta foi vista caindo no precipício. Todos tinham pensado que se trataria do suicídio de Marty (Eastwood) e então decidiram batizar o precipício com o nome de Marty em 1885. Mais, havia muitas mais coisas em Hill Valley com o nome de Clint Eastwood, pois nesta realidade ele era visto como o homem que derrotou Bufford Tannen – antepassado de Biff. Até a própria família McFly reconhecia “Clint Eastwood” como um herói. O DeLorean atravessa a ponte em segurança e vai perdendo velocidade até chegar perto da casa de Marty. No momento em que pára por completo, vem um trem em sentido contrário que destrói o DeLorean por completo. Marty escapa por muito pouco e fica com pena por Emmett não estar ali, pois tinha-se realizado o seu desejo, a destruição da máquina do tempo.

Marty vai para casa e vê a sua família exatamente como estava antes de ir para 2015, com Biff a ser mecânico e lavador dos automóveis da família. É aí que Marty vai finalmente reencontrar-se com Jennifer e, experimentar o sua caminhonete nova. Marty e Jennifer vão dar um passeio e Jennifer conta-lhe do “sonho” que teve (que na verdade foi o que ela vira em 2015), Marty decide contar que não se tratara dum sonho, até que Jennifer ainda tinha consigo uma mensagem que recebera em 2015 (a da demissão de Marty) que se apagara da existência após Marty desistir de fazer um racha em sua caminhonete (no futuro, Marty sofreria um acidente nesse mesmo racha que deixaria suas mãos com graves sequelas, e ele nunca mais conseguiria tocar sua guitarra culminando numa série de eventos que o fariam ser um fracassado em 2015). Depois Marty e Jennifer vão até onde estão os destroços do DeLorean e este desabafa que irá ter muitas saudades de Emmett que sempre fora o seu melhor amigo.

Nesse exato momento Marty e Jennifer sentem uma estranha energia no ar. É aí que aparece Emmett, Clara e seus filhos, Julio e Verne em uma nova máquina do tempo, fabricada a partir de uma locomotiva a vapor. Emmett apresenta a sua família a Marty e Jennifer, vivendo todos muito felizes. Emmett disse que voltou a 1985 apenas para buscar o Einstein (seu cachorro), Na despedida, Emmett entrega a Marty a fotografia do relógio da torre que eles dois tiraram em 1885. Jennifer ainda pergunta-lhe por que razão as mensagens trazidas do futuro se apagaram da existência. Emmett explica que o futuro ainda não está definido e cada um será o seu construtor. Assim, o Doutor aconselha a Marty e Jennifer que façam um bom futuro.É aí que Emmett se despede pela última vez de Marty.

Marty pergunta a Emmett se o Doutor vai voltar para o futuro e Emmett responde que já esteve lá.

A nova máquina do tempo do Dr. Brown.

A nova máquina do tempo do Dr. Brown.

Abrindo um parêntese: Emmett, nos 10 anos seguintes a 1885, constituira a sua família com Clara, e seus filhos, Julio e Verne. Trabalhando nesse período também na construção da nova máquina do tempo, em forma de locomotiva. Após a sua conclusão, Emmett e a família vão para 2015, para inserir na máquina um mecanismo de voo e, logo a seguir regressam a 1985, para visitar Marty e Jennifer e bucar o Einstein. Na cena final, Emmett e sua família se despedem de Marty e com o agora trem voador, parte para uma época desconhecida (provavelmente, 1885). O final deste terceiro capítulo nos deixou com um gosto de quero mais, mas infelizmente a história acaba aqui. Mesmo assim, passados 30 anos desse filme – que podemos considerar uma única história dividida em três partes – o filme ainda emociona e nos faz pensar.

Mais comentários nessa postagem são desnecessários. Ficamos por aqui e até a próxima!

 

 

Top 10 filmes para se assistir em Outubro

Prezados leitores!

Peço minhas mais sinceras desculpas, mas devido a uma invasão não-autorizada de malditos hackers o blog ficou fora do ar por algum tempo. Infelizmente não consegui publicar minha lista “Top 10” do mês de Agosto e Setembro e nem colocar novas atualizações (esta lista de Outubro já chegou com atraso, para vocês terem uma ideia). E como tem novidade pra contar hein? 2016 vai ser o ano da Marvel no cinema com Homem-Aranha na Série Vingadores (finalmente – Graças a Deus NÃO É O ANDREW GARFIELD), Deadpool, X-Men: Apocalypse, e uma porrada de outros títulos. Do outro lado temos finalmente estipulada uma Série “Liga da Justiça” pela DC – cujo primeiro capítulo é O Homem de Aço (2013).  No ano que vem chega finalmente Batman vs. Superman – que vai ter a participação especial de Gal Gadot como a Mulher-Maravilha; e Esquadrão Suicida – o filme mais paradoxal da DC até agora. Vale por vermos um novo Coringa nas telonas, interpretado por Jared Leto – Saudades Heath Ledger.

Mas enquanto essa avalanche de filmes bons não chega – não sei se vocês perceberam mas eu sou Marvete  de carteirinha (perdoem aí os Decenautas, mas enquanto a Marvel já lançou 12 filmes de seu universo, a DC lançou SOMENTE UM até a presente data…) – Vou elaborar aqui uma lista de filmes que marcaram – um “Top 10” – algo que eu não faço há muito tempo. Espero que gostem porque só vai ter blockbuster:

Finding_Nemo10 – Procurando Nemo (Finding Nemo, 2003) – Distribuição: Disney
Na última posição já coloco uma das melhores animações da parceria Disney/Pixar, que foi o maior sucesso no ano de seu lançamento, arrecadando quase 1 bilhão de dólares em bilheteria. Nemo é um filme cativante, que encanta crianças e adultos e nos faz refletir sobre a relação entre pais e filhos. O passado reserva tristes memórias para Marlin nos recifes de coral, onde perdeu sua esposa e toda a ninhada. Agora, ele cria seu único filho Nemo com todo o cuidado do mundo, mas o pequeno e simpático peixe-palhaço acaba exagerando durante uma simples discussão e acaba sendo capturado por um mergulhador. Agora, o pai super protetor precisa entrar em ação e parte numa busca incansável pelo mar aberto, na esperança de encontrar seu amado filhote. No meio do caminho, ele acaba conhecendo Dory e, juntos, a dupla vai viver uma incrível aventura. Enquanto isso, Nemo também vive uma intensa experiência ao lado de seus novos amigos habitantes de um aquário, pois eles precisam ajudá-lo a escapar do destino que lhe foi reservado: ir parar nas mãos da terrível Darla, sobrinha do dentista que o capturou.
Uma curiosidade: A continuação do filme está prevista para ser lançada no ano que vem, e adivinhem só: a protagonista dessa vez será a esquecida peixinha azul Dory. Procurando Dory promete ser tão bom quanto seu antecessor. Só nos resta esperar pra ver…

21057125_201311122012213249 – O Hobbit: A Desolação de Smaug (The Hobbit: The Desolation of Smaug, 2013) – Distribuição: Warner

O segundo capítulo da série “O Hobbit” (e também o segundo na cronologia da Terra-Média), nos mostra como o jovem Bilbo Bolseiro (Martin Freeman) após iniciar sua jornada ao lado de um grupo de anões e do mago Gandalf (Ian McKellen), segue em direção à Montanha Solitária, onde deverá ajudar seus companheiros de missão a retomar a Pedra de Arken, que fará com que Thorin Escudo de Carvalho (Richard Armitage) obtenha o respeito de todos os anões e o apoio na luta para retomar seu reino. O problema é que o artefato está perdida em meio a um tesouro protegido pelo temido dragão Smaug, que dá nome ao subtítulo (voz de Benedict Cumberbatch). Ao mesmo tempo, Gandalf investiga uma nova força sombria que surge na Terra Média (que já sabemos muito bem do que se trata, pois já assistimos a O Senhor dos Anéis). Algumas figuras conhecidas, como o elfo Legolas, dão as caras neste filme, cuja conclusão eu já contei neste post, lembram-se? Se você é fã de RPG ou simplesmente gosta das obras de J.R.R. Tolkien, este filme é presença obrigatória na sua coleção.

piratas do caribe poster8 – Piratas do Caribe: No Fim do Mundo (Pirates of the Caribbean: At World’s End, 2007) – Distribuição: Disney

A terceira aventura (na verdade uma continuação direta do segundo filme) de Jack Sparrow e companhia tinha tudo pra ser o gran finale da série. Mas como Hollywood é movido a dinheiro e o personagem de Johnny Depp fez um puta sucesso, a Disney resolveu investir em mais dois longas depois desse. O lorde Cuttler Beckett (Tom Hollander), da Companhia das Índias Ocidentais, detém o comando do navio-fantasma Holandês Voador. O navio, agora sob o comando do almirante James Norrington (Jack Davenport), tem por missão vagar pelos sete mares em busca de piratas e matá-los sem piedade. Na intenção de deter Beckett, Will Turner (Orlando Bloom), Elizabeth Swann (Keira Knightley) e o ressuscitado capitão Barbosa (Geoffrey Rush) precisam reunir os Nove Lordes da Corte da Irmandade. Porém falta um dos Lordes, o capitão Jack Sparrow (Johnny Depp), que morrera no filme anterior. O trio parte para Cingapura, na intenção de conseguir o mapa que os conduzirá ao fim do mundo, onde Jack está, para resgatá-lo . Porém para conseguir o mapa eles precisarão enfrentar um pirata chinês, o capitão Sao Feng (Chow Yun-Fat). É uma clássica aventura de piratas. Vale simplesmente por isso.

2013-Despicable-2-movie-poster-2-e1371464277848

7 – Meu Malvado Favorito 2 (Despicable Me 2, 2013) – Distribuição: Universal

Num tempo onde os longas de animação estão dominados de um lado pela Disney/Pixar e do outro pela Dreamworks, a série de Gru e seus serviçais amarelos tem sido a franquia que colocou a Universal (em parceria com a Ilumination Entertainment) na jogada. Com o sucesso do filme de 2010 (que você confere clicando aqui), era inevitável que fosse feita uma sequência; que convenhamos, fez muito mais sucesso do que o primeiro filme. Gru (voz de Steve Carell no inglês/Leandro Hassum no Brasil) mudou radicalmente sua vida e agora seu negócio é se dedicar às filhas adotivas Agnes, Edith e Margot, deixando de lado os tempos de vilão. Ele só não contava que seu passado de “ladrão da Lua” pudesse falar mais alto e ser responsável pelo seu recrutamento, através da AVL (Liga Anti-Vilões), para salvar o mundo na companhia da agente Lucy (que na dublagem brasileira ganhou a voz de Maria Clara Gueiros). Juntos, eles precisam localizar o criminoso que roubou a fórmula PX41, e Gru desconfia que um antigo “concorrente”, chamado El Macho (dublado pelo “machão” Sidney Magal), possa ser o responsável por essa maldade. Para completar os problemas, o parceiro Dr. Nefário resolveu abandoná-lo e Margot está vivendo seu primeiro amor. Uma curiosidade: Durante os créditos finais os Minions (as doces criaturinhas amarelas) provam que mais uma vez os coadjuvantes fazem mais sucesso que os protagonistas – e anunciam que breve virá um filme só deles (o filme spin-off dos Minions estreou em 2015).

The_Lion_King6 – O Rei Leão (The Lion King, 1994) – Distribuição: Disney

Apesar de já terem se passado 21 anos desde o lançamento dessa obra-prima da Disney, não poderia deixar de mencioná-la pelo simples motivo de ser até hoje a animação feita à mão de maior sucesso da casa – e também a que lucrou a maior bilheteria. Um dos filmes mais mágicos de todos os tempos, na minha opinião, que com certeza fez muito marmanjo suar pelos olhos principalmente na parte em que o pai do Simba morre… vale pelas músicas lindas que permeiam o desenrolar do filme; pelo grande elenco de dublagem, tanto em inglês como em português, ou simplesmente para matarmos a saudade de Timão e Pumba – os coadjuvantes que fizeram mais sucesso que o protagonista. Mufasa (voz de James Earl Jones), o Rei Leão, e a rainha Sarabi (voz de Madge Sinclair) apresentam ao reino o herdeiro do trono, Simba (voz de Matthew Broderick). O recém-nascido recebe a bênção do sábio babuíno Rafiki (voz de Robert Guillaume), mas ao crescer é envolvido nas artimanhas de seu tio Scar (voz de Jeremy Irons), o invejoso e maquiavélico irmão de Mufasa, que planeja livrar-se do sobrinho e herdar o trono. Uma palavra para definir esse filme: Emocionante. E ponto.

Hobbit_jornadainesperada_46 5 – O Hobbit: Uma Jornada Inesperada (The Hobbit: An Unexpected Journey, 2012) – Distribuição: Warner
A primeira parte de “O Hobbit” não poderia faltar nessa lista (ainda mais que a segunda parte está logo acima). Afinal, dos três filmes da série foi o único a ultrapassar a marca de 1 bilhão de dólares em bilheteria. O filme começa quase que paralelamente ao primeiro Senhor dos Anéis, com Bilbo já velho e escrevendo as memórias de sua grande aventura. Elijah Wood faz uma participação como Frodo nesse início de filme. Depois, adentramos as memórias de Bilbo e voltamos 60 anos no passado, quando Bilbo Bolseiro (Martin Freeman) vive uma vida pacata no condado, como a maioria dos hobbits. Um dia, aparece em sua porta o mago Gandalf, o cinzento (Ian McKellen), que lhe promete uma aventura como nunca antes vista. Na companhia de vários anões, Bilbo e Gandalf iniciam sua jornada inesperada pela Terra Média. Eles têm por objetivo libertar o reino de Erebor, conquistado há tempos pelo dragão Smaug e que antes pertencia aos anões. No meio do caminho encontram elfos, trolls e, adivinhem só, a criatura Gollum (Andy Serkis) e seu “Precioso” anel que tanta dor de cabeça causaria mais tarde. As referências a Senhor dos Anéis são inúmeras – inclusive muitas cenas idênticas ao filme de 2001 são vistas. Mesmo não tendo levado nenhum Oscar, vale a pena conferir essa grande aventura. Sugiro que tenha visto os três Senhor dos Anéis primeiro para entender algumas referências, mas se não viu, não tem problema. Dá pra começar pelos três O Hobbit e depois entrar em Senhor dos Anéis.

alice-no-pais-das-maravilhas-dublado-1080p 4 – Alice no País das Maravilhas (Alice in Wonderland, 2010) – Distribuição: Disney
Confesso que esse filme merecia uma posição melhor, então usei como critério de desempate em relação aos próximos a arrecadação em bilheteria. Passaram-se 13 anos desde que Alice (Mia Wasikowska), ainda criança, visitara o lendário “País das Maravilhas”. Acreditando que sua aventura não havia passado de um sonho, Alice, agora uma jovem de 19 anos, encontra em certa ocasião um coelho branco apressado, que sempre olha no relógio. Ao segui-lo, ela entra em um buraco que a leva novamente ao País das Maravilhas, apesar de nada se lembrar de sua aventura anterior. Lá ela é recepcionada pelo Chapeleiro Maluco (Johnny Depp) e passa a lidar com seres fantásticos e mágicos, além da ira da poderosa Rainha de Copas (Helena Bonham Carter). Minha crítica pessoal: Bem, só pelo fato de ter sido dirigido por Tim Burton, com seu elenco recorrente já vale uma arriscada.  Só não é melhor que ler o livro. Mas isso é outra história.

E não podemos esquecer das nossas menções honrosas – Filmes imortais que eu já comentei aqui antes, então é só clicar nos links para mais detalhes: Para começar, três filmes do bruxo mais famoso da literatura mundial: a) Harry Potter e a Ordem da Fênix (2007) – Um filme onde Harry está na pior idade – 15 anos –  e tem que lidar com transtorno de humor e o fato de ninguém acreditar na versão dele sobre a morte de Cedrico Diggory. (Se bem que Cedrico não morreu, só virou fadinha brilhante – entendedores entenderão). E onde acontece a mais nebulosa morte da série – a de Sirius Black – até hoje não entendi como ele morreu, e olha que eu tenho os livros… b) Harry Potter e as Relíquias da Morte – parte I (2010); por um simples motivo: por ser literalmente o começo do fim… digo, o começo do capítulo final da saga que marcou uma geração. (Na verdade, dividir o sétimo livro em duas partes foi uma grande jogada de marketing da Warner para arrecadar mais dólares em bilheteria, jogada esta que infelizmente, deu certo e que levou outras distribuidoras a fazer o mesmo – Summit com Amanhecer parte 1 e parte 2  e Lionsgate com Jogos Vorazes: A Esperança, este último cuja conclusão nas telonas ainda não saiu – e já se passou quase um ano desde o lançamento da primeira parte e nada, posso afirmar que é o filme mais aguardado de 2015). c) Harry Potter e a Pedra Filosofal (2001) – Por ser o primeiro capítulo da série, onde vemos Harry ainda com seus 11 anos, sendo desprezado pelos seus tios trouxas e descobrindo aos poucos o que é ser um bruxo. É interessante que façamos uma maratona dos oito filmes da série só para vermos o crescimento tanto dos atores como dos personagens.

Aproveito a lista de menções honrosas para sugerir um dos melhores filmes do Batman de todos os tempos: O Cavaleiro das Trevas (2008). O Motivo? Bem, de 1989 pra cá o Morcegão já teve filmes bons, médios, ruins, péssimos e o Batman e Robin (1997); E foi sob a batuta de Christopher Nolan que tivemos (até agora) a melhor de todas as versões do Morcegão. O Cavaleiro das Trevas é tudo de bom e a performance do (falecido) Heath Ledger como o Coringa é uma das melhores (ao lado, é claro, de Jack Nicholson). Esse é um daqueles filmes que você nunca se cansa de assistir. Talvez por isso tenha ultrapassado a marca de 1 bilhão de dólares em bilheteria no mundo todo.

Muito bem, o Pódio Principal deste mês vai para:

STAR-WARS-I-A-AMEACA-FANTASMA 3 – Star Wars – Episódio I: A Ameaça Fantasma (Star Wars Episode I: The Phantom Menace, 1999) – Distribuição: Fox

O primeiro filme da trilogia de serve de “prelúdio” aos acontecimentos da Trilogia Clássica; e o único dos seis filmes existentes a superar a marca de 1 bilhão de dólares em bilheteria. Como Anakin se tornou Darth Vader? Antes de tudo, dois guerreiros jedi o encontraram ainda criança no arenoso planeta Tatooine. E é isso que este filme pretende contar. Nada mais. Quando a maquiavélica Federação Comercial planeja invadir o pacífico planeta Naboo, o guerreiro Jedi Qui-Gon Jinn (Liam Neeson) e seu aprendiz Obi-Wan Kenobi (Ewan McGregor) embarcam em uma aventura para tentar salvar o planeta. Viajam com eles a jovem Rainha Amidala (Natalie Portman), que é visada pela Federação pois querem forçá-la a assinar um tratado político. Eles têm de viajar para os distantes planetas Tatooine e Coruscant em uma desesperada tentativa de salvar o mundo de Darth Sidious (Ian McDiarmid), o demoníaco líder da Federação que sempre surge em imagens tridimensionais (a ameaça fantasma). Durante a viagem, Qui-Gon Jinn conhece um garoto de nove anos que deseja treiná-lo para ser tornar um Jedi, pois o menino tem todas as qualidades para isto. Mas o tempo revelará que nem sempre as coisas são o que aparentam. Como todo filme de origem, nos é mostrado como surgiram os andróides R2D2 e C3PO; como começou o treinamento de Anakin para ser um Jedi, entre outras coisas…

Uma curiosidade: Creio que George Lucas foi o primeiro a perceber a semelhança entre as atrizes Natalie Portman e Keira Knightley. Na época das filmagens, Natalie tinha 18 anos e Keira, 14. Embora não esteja creditado (pelo menos eu não percebi), Keira faz o papel de dublê da Rainha Padmé Amidala nos momentos mais críticos; enquanto a verdadeira Rainha está disfarçada de sua camareira… Observe várias cenas em que as duas estão juntas. Printei uma cena aí pra comprovar o que estou dizendo… Alíás foi por causa dessa “atuação” que o nome de Keira ficou conhecido no mundo inteiro, após, é claro, George Lucas revelar o grande segredo das duas Amidalas.Separadas

Vale lembrar que Star Wars está prestes a ser “ressuscitado” novamente em dezembro de 2015, com o lançamento de um “Episódio 7”, que se passará muitos anos depois da Trilogia Original, contando inclusive com Harrison Ford; Carrie Fischer, e outros atores que marcaram a Trilogia Clássica. Que tal fazer um “aquecimento” assistindo aos seis filmes já existentes da série? Fica aí a dica para uma próxima “Sessão Nostalgia”…

enhanced-14020-1407861668-13

2 – Parque dos Dinossauros (Jurassic Park, 1993) – Distribuição: Universal
Não precisa falar mais nada. Esse foi o filme de maior sucesso da década de 90, um dos maiores blockbusters dirigidos por Steven Spielberg. Foi um dos primeiros filmes a usar a hoje tão conhecida CGI, ao criar dinossauros que literalmente interagiam com os atores. E como se não bastasse tudo isso, teve a franquia “ressuscitada” em 2015, lançando uma sequência (na verdade o quarto filme da série) que fez um sucesso dez vezes maior que o original.  Mas vou dar a medalha de prata para o original porque… bem, a fórmula era inédita nesse primeiro filme. O que veio depois foi apenas (e simplesmente) repeteco. Se você duvida confere este post, onde eu menciono sua continuação e vê se não é repeteco. Me perdoem mas Jurassic World (o que saiu agora em 2015) é exatamente uma cópia desse primeiro filme. Um parque construído por um milionário (Richard Attenborough) tem como habitantes dinossauros diversos, extintos a sessenta e cinco milhões de anos. Isto é possível por ter sido encontrado um inseto fossilizado, que tinha sugado sangue destes dinossauros, de onde pôde-se isolar o DNA, o código químico da vida, e, a partir deste ponto, recriá-los em laboratório. Mas, o que parecia ser um sonho se torna um pesadelo, quando a experiência sai do controle de seus criadores. O Jurassic Park original ganhou 3 Oscars, e foi um grande sucesso de bilheteria e crítica, sendo a maior bilheteria da história do cinema entre 1993 e 1997 e chegando, inclusive, a superar a marca do bilhão após o seu relançamento em 3D, sendo o segundo a conseguir essa façanha – o primeiro foi o Star Wars Episódio I (acima). Dispensarei maiores comentários. Quer saber mais, dá uma assistida. De preferência ANTES do Jurassic World! 

E finalmente, o nosso ganhador da medalha de ouro…

Pirates_of_the_Caribbean_-_On_Stranger_Tides 1- Piratas do Caribe: Navegando em Águas Misteriosas (Pirates of the Caribbean: On Stranger Tides, 2011) – Distribuição: Disney
Dos quatro filmes da série de Jack Sparrow e companhia, creio que esse foi um dos melhores (financeiramente falando, foi o segundo mais bem-sucedido – ultrapassando o bilhão de dólares em bilheteria). Diferente dos filmes anteriores, que foram filmados no Caribe; este foi filmado no Havaí. Mas nem por isso o filme deixa de ser bom. Afinal, Johnny Depp tem uma atuação única  – e como Sparrow, ele se superou. Neste aqui, Sparrow encontra o lendário pirata Barba Negra (pela primeira vez uma figura que existiu de verdade), e busca pela lendária fonte da juventude – com a ajuda do mapa que ele havia roubado no filme anterior.

Jack Sparrow (Johnny Depp) está a procura da Fonte da Juventude. Ele reencontra uma mulher do seu passado chamada Angelica (Penélope Cruz), mas o pirata fica na dúvida se é amor ou se ela o está usando para encontrar a fonte. Quando ela o força a embarcar no Queen Anne’s Revenge, o navio do lendário pirata Barba Negra (Ian McShane), o capitão Sparrow se encontra numa inesperada aventura em que não sabe a quem deve temer mais, Barba Negra ou Angelica. Com a ajuda de seu velho rival, Hector Barbosa (Geoffrey Rush), que agora é um corsário a serviço do reino da Inglaterra, e que está a procura de vingança contra Barba Negra, por ele ter afundado o Pérola Negra (e fazer Barbosa literalmente perder uma perna), eles enfrentarão sereias, maldições,sapos venenosos,penhascos,cobras e a marinha real da Espanha, liderada pelo Espanhol (Óscar Jaenada) para obter a Fonte da Juventude. Jack Sparrow, conta também com ajuda de seu fiel e melhor amigo, Joshamee Gibbs (Kevin McNally). Talvez pelo fato de esse filme contar uma história diferente dos anteriores (já que os três primeiros se amarram muito bem, com um começo, meio e fim), o filme é bom. Depp e Cruz combinam muito bem. E o mais legal é que a franquia permite mais um sem número de continuações, contando as peripécias do Capitão Sparrow – um quinto filme está previsto para o ano que vem. E promete estar entre as 100 maiores bilheterias do cinema. Você duvida?

Gente, mil perdões pelos constantes atrasos, mas é que dá trabalho coletar material para postar pra vocês. Estou estudando a hipótese de documentar tudo em algum canal do Youtube, mas não me será viável por enquanto. as quem sabe minhas postagens não servem de base para um canal qualquer aí, não é mesmo? Então até a próxima! E se tiverem sugestões de pautas podem mandar nos comentários. Vou gostar muito! Abraço!